Arquivo da tag: Brasil

UM SABOR BIPOLAR!

A culinária brasileira é uma mistura de cultura e ingredientes de índios, africanos, e europeus. Devido às grandes dimensões, e histórias um pouco diferentes quanto ao processo de colonização, as diversas regiões brasileiras possuem algumas diferenças marcantes e pratos típicos exclusivos. 

Ao me comunicar com a família que vive no exterior, a primeira coisa que eles se recordam ao falarem do Brasil, sem nenhum dúvida NÃO sou eu, infelizmente… Ou felizmente! Eles pensam na comida. A boa comida a moda brasileira. Brigadeiro, coxinhas, a tapioca, a feijoada, requeijão, a pizza que, segundo eles não existe igual…  eles pensam em uma cultura gastronômica rica para todos os gostos, comidas salgadas ou sobremesas doces.

Claro que, sou brasileiro, mas não é por isso que como essas delicias todos os dias. Não é bem assim, eu tenho uma bipolaridade em meu prato em todo santo almoço. Um marrom e branco, o arroz com feijão, em um estilo colonial. Mas não é só isso, no bom e rico prato vai de tudo, um pedaço de carne, vegetais, legumes, e é uma delicia encher o bucho dessa forma.

Cada região tem a sua especialidade! No Norte por exemplo, devido as florestas, rios e influência indígena, predominam as frutas, peixes e a mandioca. No Nordeste, o cocô que veio da Índia, o dendê, as buchadas de bode, os frutos do mar, o sururu! No Centro-Oeste, devido os grandes rebanhos de gado bovino há predominância dos pratos de carne, bebida com erva-mate, aves e caça do Pantanal, além do pequi, fruta do cerrado usada em vários pratos da região. Descendo um pouco mais, chegamos ao Sudeste, devido a sua característica cosmopolita há todos os sabores do mundo. No Rio de Janeiro, pode-se citar como típico a feijoada carioca, já em São Paulo o cuscuz-paulista domina. Em Minas Gerais, que tem uma rica e variada culinária, Tutu de feijão e carne de porco, sem contar as delicias derivadas do leite. No Espírito Santo, é muito famosa a moqueca capixaba. E se descermos ao Sul, por conta da imigração, há muita influência da cozinha italiana e alemã, entre outras. Com uma base em carnes, e lá, existe o mais famoso churrasco de todo o mundo, sem esquecer do delicioso chimarrão!

Quem mora longe do país não desmente, uma das coisas que mais faz falta é a comida que não nega a raça miscigenada que somos. Uma mistura que trás um pouco de tudo, dos nativos, dos europeus, africanos, e porque não, dos asiáticos… aqui tem de tudo. Venha para o Brasil e descubra. A cada passo que você dá, uma delicia diferente vai encantar a sua vida.

Anúncios

VOZES CALADAS

Podemos dizer que a ditadura na América do Sul, no período de guerra fria, foi um dos momentos mais sombrios das últimas décadas. Aqui no Brasil não foi diferente. Pessoas torturadas, sequestradas e assassinadas… Mas você acha que a ditadura começou em 1964?

A crise já vinha desde 1929, com a queda da bolsa de valores de Nova York tudo veio à tona, a inflação, a queda da economia do café, as crises da politica café com leite, que resultou em um governo “provisório” do gaúcho nacionalista Getúlio Vargas. Com reformas em seu governo “provisório”, Vargas ficou no poder durante 15 anos, com isso veio o incentivo ao rádio, diversas leis de censura às mídias (como o Departamento de Imprensa e Propaganda – o DIP -), direitos a trabalhadores, e leis um tanto quanto confusas, como a lei de destombamento. O presidente renunciou em 1945, e depois voltou anos mais tarde. Em 1951 o presidente voltou ao seu cargo em eleições diretas, e 3 anos mais tarde, se suicidou (ou foi morto?). [Confira aqui, a carta dele]

Não vem ao caso. O que importa, é o presidente que chegou em 1961, João Goulart e suas ideias socialistas em uma guerra fria.  A crise política se arrastava desde a renúncia de Jânio Quadros em 1961. O vice de Jânio era João Goulart, que assumiu a presidência num clima político adverso. O governo de João Goulart (1961-1964) foi marcado pela abertura às organizações sociais. Estudantes, organização populares e trabalhadores ganharam espaço, causando a preocupação das classes conservadoras como, por exemplo, os empresários, banqueiros, Igreja Católica, militares e classe média. Todos temiam uma guinada do Brasil para o lado socialista. Vale ressaltar, que neste período, o mundo vivia o auge da Guerra Fria.

Então, no dia 1 de Abril de 1964, João Goulart foi deposto e teve de fugir para o RS, e, em seguida, para o Uruguai. Desta maneira, o Chefe Maior do Exército, o General Humberto Castelo Branco, tornou-se presidente do Brasil. Com o auxilio dos Estados Unidos da América, e da operação Brother Sam, o país foi tomado por armas militares que chegaram direto do bloco capitalista (aviões, soldados, jipes, navios).

A ditadura trouxe consigo, a censura que Vargas pregou em seu primeiro mandato, o DIP. Músicos que protestavam contra o regime militar e a violência imposta por eles. Quem ousava dar de frente contra a ditadura recebia o “devido” castigo, eram torturados. Músicos perdiam suas ferramentas de trabalho, compositores levavam aquela surra que ninguém consegue esquecer, alguns tinham até a família caçada.

Muitos morreram ou sumiram com as perseguições, isso é fato. E Raul Seixas, na música Mosca na Sopa, cita de forma metafórica que, por mais que os militares matem, a espécie continua.

“…Pois você mata uma, e vem outra em seu lugar”.

Foi cruel, quem mais se manifestava pelo povo se reprimiu pelo medo, as músicas acabaram sendo cantadas por vozes caladas. Os militares destruíram duas gerações, em 30 e 60, eles “pintaram para lhe abusar”, com seu instinto primitivo de destruição em massa financiado por um país tão fraco mentalmente, que, mesmo fazendo diversos atentados terroristas diariamente contra o mundo, diz que o pior deles foi a queda de duas torres que eles mesmo causaram apenas para ter um motivo para investir em armamentos. (inocentes). Há muitos que vão as ruas pedindo uma nova intervenção militar, e eles são tratados com respeito. Agora, muitos também vão às ruas pedirem respeito, e são tratados como se estivessem em uma ditadura.


FOTOS DA VISITA TÉCNICA

Grupo
Grupo
Memorial da Resistência Pinacoteca
Memorial da Resistência
Pinacoteca
Controle, Repressão, Resistencia
Controle, Repressão, Resistência
Um dos quartos onde a
Um dos quartos onde a “oposição a ditadura” ficava.

11037554_1656793047866068_6175111841206872687_n

Meus amores.
Meus amores.
WP_20150913_009
Pegaram o meu bebê, para me ameaçar!

WP_20150913_008

Vanderley!
Vanderley!
Guilherme!
Guilherme!
O Cravo Vermelho. que foi distribuído para todas as celas.
O Cravo Vermelho.
que foi distribuído para todas as celas.

QUER MAIS DA DITADURA?

Conhecendo Museus

SuperInteressante Jogo

Mitos da ditadura

De Volta a 1964

Ditadura do Estado Novo

Trabalho de História

SIGNIFICADO DO NOME DOS PAÍSES NA AMÉRICA DO SUL

HOMENAGEM AO DESCOBRIDOR

Colômbia significa algo como “Terra de Colombo”, numa homenagem óbvia ao navegador italiano Cristóvão Colombo (1451-1506), que, como todo mundo sabe, descobriu o continente americano em 1492.

DIVISÃO IGUALITÁRIA

O Equador foi batizado com o mesmo nome da linha imaginária que atravessa seu território e corta o nosso planeta ao meio. A palavra deriva do latim aequus, ou “igual”, numa referência à divisão da Terra em duas partes iguais, os hemisférios Norte e Sul.

POLÊMICA INCA

A origem do nome Peru é controversa, com duas interpretações conflitantes. A primeira afirma que se trata de derivação do nome Birú, um importante chefe inca. Para a segunda, a mesma palavra significa também “terra de riqueza e esperança”.

HERÓI LIBERTADOR

O general e estadista Simon Bolívar (1783-1830) tornou-se um dos principais heróis sul-americanos ao lutar pela independência de vários países da região, inclusive da própria Bolívia, batizada em homenagem a seu libertador.

O FIM DA TERRA

Antes mesmo da colonização, o Chile já era chamado assim pelos índios aimarás, que habitavam o norte do país. Na língua deles, a palavra chilli quer dizer “onde acaba a terra”, referência à posição geográfica do território: o extremo oeste do continente.

PEQUENA VENEZA

A Venezuela deve seu nome a Américo Vespúcio (1454-1512), explorador italiano naturalizado espanhol. Ao visitar a região, ele encontrou indígenas que construíam suas casas em palafitas sobre as águas do lago Maracaibo, no noroeste do país. Isso o fez chamar o lugar de “Pequena Veneza”: Venezuela.

PRATA FARTA

A Argentina impressionou seus descobridores pela grande quantidade de riquezas minerais encontradas em seu solo, principalmente prata. Daí vem seu nome, inspirado em argentum: prata, em latim.

ADEUS INDÍGENA

O Suriname tomou seu nome dos índios surinen, habitantes originais da região. Uma lembrança triste, uma vez que, quando os primeiros exploradores ali chegaram, a tribo já havia praticamente desaparecido, expulsa e dizimada por outros grupos indígenas que passaram a ocupar a área.

TERRA DAS ÁGUAS

A Guiana e sua vizinha Guiana Francesa – situadas entre os rios Orinoco, Amazonas e Negro, além de serem banhadas pelo Oceano Atlântico – eram conhecidas pelos nativos como guyana, termo que, em seu idioma, significa “terra de muitas águas”. A Guiana Francesa obviamente leva esse adjetivo por ser possessão da França.

ÁRVORE EM BRASA

Essa aqui é moleza, hein? Produto de grande importância comercial no século XVI, a árvore de pau-brasil batizou nosso país, onde os colonizadores portugueses encontraram florestas fartas dessa madeira. “Brasil” quer dizer algo como “em brasa”, referência à forte coloração avermelhada do tronco, utilizado para fazer corante.

O RIO É REI

O Uruguai acabou ganhando o mesmo nome que os índios tupis e guaranis haviam dado ao grande rio que atravessa seu território. No idioma deles, a palavra significa “rio dos caracóis”.

CAMPEÕES AQUÁTICOS

Quando o Paraguai foi descoberto pelos espanhóis, a região era habitada por índios chamados payaguaes. Excelentes nadadores e hábeis navegadores, eles viviam às margens do rio que dava nome à tribo. O termo pode ser traduzido como “rabo de mar”, “rio ornado” ou “rio que dá origem ao mar” – mas também identifica um tipo de papagaio.

CESAR, AULAS DE GEOGRAFIA, 02 – 09

AULA 02

CIRCUITO DAS FRUTAS

ESTÂNCIAS, IDH, CIRCUITO DAS FRUTAS


AULA 03

ATMOSFERA, CLIMA


AULA 04

CICLO HIDROGRÁFICO, ÁGUA

GEOMORFOLÓGICO,  VULCÕES E TERREMOTOS, FORMAS EXÓGENAS, RELEVO, FORMAÇÃO DO SOLO, RELEVO DO ESTADO DE SP
VEGETAÇÃO, INTERAÇÃO ENTRE CLIMA, RECURSOS HÍDRICOS E VEGETAÇÃO, BIOMAS MUNDIAIS E BRASILEIROS, HOTSPOTS DE BIODIVERSIDADE

URBANIZAÇÃO, REDE E HIERARQUIA URBANA, BRASIL: REGIÕES METROPOLITANAS, QUESTÕES AMBIENTAIS E URBANAS, POLUIÇÃO

FORMAS DE ORIENTAÇÃO, CARTOGRAFIA/MAPAS, TIPOS DE MAPAS, ELEMENTOS QUE COMPÕEM OS MAPAS, FUSOS HORÁRIOS.

CULTURA, ETNIA, SOCIEDADE
Referência as aulas do professor Cesar!

SÃO PAULO, 7 DE JUNHO!

MEMORIAL DA AMÉRICA LATINA!

América! Memorial da América Latina, Pavilhão da Criatividade
América! Memorial da América Latina, Pavilhão da Criatividade
América! Memorial da América Latina, Pavilhão da Criatividade
América! Memorial da América Latina, Pavilhão da Criatividade
México! Memorial da América Latina, Pavilhão da Criatividade
México! Memorial da América Latina, Pavilhão da Criatividade
 Memorial da América Latina, Pavilhão da Criatividade
Memorial da América Latina, Pavilhão da Criatividade

O acervo permanente de cerca de 4 mil peças de arte popular do Brasil, México, Peru, Equador, Guatemala, Bolívia, Paraguai, Chile e Uruguai, exposto em 1600 m², é único no país. Trajes típicos, máscaras, estandartes, instrumentos musicais, objetos de adorno e de uso cotidiano, brinquedos, adereços religiosos e profanos,obras em argila, madeira, esculturas em ferro, fibas, entre muitas outras peças – testemunho eloquente da criatividade popular – fazem parte do acervo do Pavilhão da Criatividade.

As peças de arte do acervo permanente foram selecionadas e adqueridas no transcurso de apenas dois meses. A aquisição da coleção foi conduzida pelos fotógrafos  Jacques e Maureen Bisillia, que em 1988 viajaram para o México, Guatemala, Equador e Peru, países escolhidos por Darcy Ribeiro para compor um acervo inicial, baseado na linha-mestra das grandes civilizações pré-hispânicas, tendo o Brasil como anfitrião.

Memorial da América Latina
Memorial da América Latina, Salão dos Atos

Sede de solenidades e recepções oficiais ligadas às questões do subcontinente latino-americano, o Salão de Atos Tiradentes é o coração do Memorial. A luz, tênue, filtrada por uma parede envidraçada, preenche o ambiente de 30 metros de altura. Essa “catedral profana” abriga a mais importante obra de Cândido Portinari, o Painel Tiradentes, de 1948, que mede 18,00 x 3,00 m, além de seis painéis em baixo-relevo, construídos em concreto aparente pelos artistas plásticos Caribé e Poty, e que medem cada um 4 x 15 m.

Memorial da América Latina com o Sr. Araújo!
Memorial da América Latina com o Sr. Araújo! Galeria de Arte

A Galeria Marta Traba de Arte Latino-Americana é um espaço privilegiado para a difusão da arte latino-americana e para o intercâmbio cultural com os países do nosso Continente.

Projetada por Oscar Niemeyer, a Galeria é hoje o único espaço museológico existente no Brasil, inteiramente dedicado às artes e à cultura latino-americanas.

Ocupando uma área de 1.000 m², o espaço é sustentado por uma única coluna central, circundado por painéis que permitem ao visitante, desde a entrada, uma visão do conjunto das obras expostas.

Composta por duas salas expositivas, a Galeria Marta Traba de Arte Latino-Americana possui todos os equipamentos necessários para a segurança das obras de arte como, controle de temperatura, de umidade e de iluminação, com local adequado para climatização na desembalagem e para manuseio e guarda.

Memorial da América Latina
Memorial da América Latina, Antiga sede do Parlamento Latino-Americano.

Quando foi criada, em 1964, a instituição era itinerante. Ganhou sede própria em 1992, graças ao interesse de Orestes Quércia, que havia deixado o governo um ano antes. Inventado com o objetivo de congregar parlamentares de todas as nações latino-americanas no debate de temas e propostas de leis de interesse comum, o Parlatino conta hoje com treze comissões. Entre suas realizações estão, por exemplo, a redação do Código Latino-Americano de Defesa do Consumidor em 1997, adotado por oito países logo após sua aprovação (para serem implementadas, as leis do Parlatino precisam ser votadas e referendadas em cada uma das nações). “Quando o código foi criado, apenas o Brasil tinha legislação sobre consumo em vigor”, lembra o deputado federal Celso Russomanno (PP-SP), que integrou o grupo responsável por esse trabalho. Atualmente, cerca de 650 senadores e deputados indicados pelos países participantes atuam em projetos do Parlatino. Eles se encontram esporadicamente no local – boa parte dos contatos é feita por e-mail ou telefone. A cada ano, cerca de 1500 legisladores visitam a sede. Mesmo o atual presidente do órgão, o senador chileno Jorge Pizarro Soto, dá expediente por lá apenas dois dias por mês. “Ficaremos muito bem em 1 000 metros quadrados”, afirma o deputado federal Bonifácio Andrada (PSDB-MG), representante brasileiro na junta diretiva do Parlatino. Ele se refere ao espaço que a instituição deverá ocupar a partir do ano que vem – uma área do Palácio do Buriti, em Brasília, que o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, estuda ceder. “O que não pode acontecer é o parlamento deixar de ser sediado no Brasil, já que sua posição aqui reforça a idéia de que somos líderes desse bloco de países.”

A direção do Memorial da América Latina ainda não sabe que destino dará ao edifício do Parlatino. Por causa de seu confortável auditório, fala-se que sua vocação natural seria a de centro cultural dedicado à música. Qualquer decisão nesse sentido terá de ser aprovada pela Secretaria de Ensino Superior. O projeto do Memorial, idealizado pelo antropólogo Darcy Ribeiro e inaugurado em 1989, determina como uma de suas principais missões o incentivo no meio acadêmico paulista a pesquisas e atividades relacionadas à América Latina. Por isso fazem parte do conselho curador do Memorial os reitores das três universidades estaduais – Unicamp, USP e Unesp. Com a transformação do Parlatino em casa de shows, é provável que o local se torne mais conhecido dos estudantes – e do público em geral – do que agora. Se não fosse pelo despejo, poucos paulistanos saberiam o que se passa dentro do belo elefante circular da Barra Funda.

Webysther_20150321164142_-_Panorama_memorial


ALLIANZ PARQUE

Allianz Arena
Allianz Parque
Allianz Arena
Allianz Arena

Batizada como Allianz Parque, a arena tem 43.600 lugares cobertos, 178 camarotes privativos de 12 a 21 lugares, um restaurante panorâmico, lanchonetes, lojas, centro de convenções com estrutura modular para até 1.500 visitantes, centro de mídia para até 1.000 profissionais da imprensa, um memorial com espaço multimídia com registros da história do clube e estacionamento coberto contíguo para até 2.000 carros, com vagas exclusivas para motocicletas e bicicletário. Eventos múltiplos, como shows e concertos, podem receber até 55 mil espectadores.


PQ. Água Branca
PQ. Água Branca
PQ. Água Branca
PQ. Água Branca

Inaugurado em 1929, o parque, que funciona diariamente, das 6h às 22h, possui várias opções de atividades para as crianças, com brinquedoteca e espaço de leitura infantil – em alguns dias ainda conta com a presença de contadores de história. Abriga um parque de diversão permanente com balões pula-pula infláveis e carrosséis de carrinhos, e parquinhos com balanços, gangorras e diversos brinquedos, que ficam espalhados pelo parque. Ao longo do ano também há uma ampla grade de programação voltada ao público infantil.

Para os amantes dos animais, o parque é ótimo para ter contato direto com diversas espécies, como as carpas e as tartarugas, que ficam em tanques espalhados pelo local, ou com os pavões, galinhas, pintinhos e gatos que ficam soltas pelo parque. Às vezes, é possível ver saguis pelas árvores. O local também possui um aquário com as principais espécies da bacia hidrográfica do Estado, com valor de entrada a R$ 2 por visitante.

A terceira idade também possui espaço no parque, como a Praça do Idoso, um local com aparelhos para a prática de ginástica, que é bastante frequentado. Diversas atividades também são desenvolvidas ao longo do ano, como ginástica antiestresse e yoga – a programação deve ser consultada diretamente no parque.


Livraria Cultura!
Livraria Cultura!
Livraria Cultura! Nunca mais faço isso, o Darth me pegou depois!
Livraria Cultura! huehue
Livraria Cultura! Darth Vader me puniu pelo o que eu fiz com o Batman. :(
Livraria Cultura! Darth Vader me puniu pelo o que eu fiz com o Batman. 😦
Livraria Cultura!
Livraria Cultura!
Livraria Cultura
Livraria Cultura
Livraria Cultura!
Livraria Cultura! Um Gênio bilionário playboy filantropo.

A Livraria Cultura é referência no mercado brasileiro e suas lojas estão sempre atualizadas em todas as áreas, tanto no que diz respeito a publicações nacionais quanto a importadas. É a maior livraria que já entrei, e é muito confortável lá dentro!


OPINIÃO

No memorial

Bom, tudo é perto, porém, caminhar naquelas calçadas é uma tremenda tortura! As curvas, as rachaduras, uma hora ou outra você pode tropeçar em algo.. a sujeira nas ruas causada pela população, são uns porcos! Sempre via lixo jogado nas calçadas, sendo que a menos de 10 passos encontraríamos um latão para que jogássemos os resíduos!

Por outro lado, o espaço é lindo, as obras, a arquitetura, é tudo genial, grande Niemeyer! Nota 3.7.

No Allianz

O Acesso é fácil pois tem um terminal de ônibus e trens a menos de 3KM de lá. Estava tudo muito lotado, e as pessoas de amarelo eram as que mais jogavam copinhos na rua, o que as pessoas tinham de beleza exterior, faltava de educação! Claro que generalizo por causa de 20 ou 30 que vi, mas educação vem de casa, e 1 consegue manchar a imagem de 10.

Todos felizes, as equipes de TV estavam por lá, a festa foi bonita com pessoas bonitas, o estádio mais belo que já vi, tudo muito moderno.. clima era de felicidade! Nota 3.5.

Parque da Água Branca

Um lugar bem verde e bonito, também com seus porcos e sua sujeira, mas dos 4, não é o pior! O que falta por lá é bebedouros, vi apenas um! E eu estava bem cansado, e tive que atravessar o parque para poder beber a água.

Porém, como eu disse, tudo lá é verde, os animais correndo livremente, é tudo muito lindo, quase sempre vou lá quando vou para Sampa!  Muito calmo, muito gostoso e agradável! Nota 4.2

Shopping Bourbon

Fácil acesso, bem perto do estádio, estava infestado de brasileiros honrando o manto! Pessoas lindas (só não mais que eu :p), sorridentes, que contavam histórias umas para as outras, variedades de comida na praça de alimentação (fui ao Viena, e super recomendo), cinema, muitas lojas, abrem sempre as 14hs aos domingos, o que é péssimo, mas..

Fiquei o maior tempo na livraria cultura, e é magnifico..os livros, os jogos, os atendentes sempre te tratando bem, nota 4.7.


REFERENCIAS

CIRCUITO DAS FRUTAS, GEOGRAFIA!

Perguntas:

  1. Registre os conceitos geográficos que mais lhe chamaram a atenção na visita técnica
  2. Você percebeu algum elemento invisível? Se sim, qual?
  3. As localidades utilizam o conceito de sustentabilidade?
  4. Propostas para melhoria na relação sociedade x natureza do local.

Respostas:

  1. O que mais me chamou atenção foram as vegetações e a população que habita e produz as frutas, também é claro, as visitas recebidas pelas fazendas/adegas produtoras de frutas.
  2. Sim, o canto dos pássaros que me lembravam a infância (sítio são José), os cheiros das frutas em todas as fazendas, o sabor dos produtos feitos nos sítios/fazendas, o som dos veículos motorizados, o cheiro da comida servida no sítio do sr. Kusakariba.
  3. Metade das localidades, mas ao meu ver (não sou um produtor, então não sei se me equivoquei), muitas das produções gastam uma quantidade de água absurda. Entretanto, a outra metade das localidades crescem sustentavelmente, ajudando a cidade economicamente [x], a natureza não está sendo tão degradada na região em que atuam, e socialmente esta tudo progredindo com turistas que vão, aprendem, e se sensibilizam, começando a pensar muito mais no eco, se tornando mais sustentáveis e evitando o desperdício.
  4. Bom, não tenho muitas idéias e possivelmente interpretei errado a ‘reflexão’, mas aqui vão duas sugestões.
  • Adaptação do homem a natureza e não da natureza ao homem;
  • Sensibilização, transformar toda a paisagem em local, onde o homem tem afeto e cuida de sua região;

MEU PATRIMÔNIO PESSOAL!

Olá monstros pequenos da minha vida! Boa noite a todos! Como vão todos nesse dia frio e preguiçoso? Espero que bem!

Bom, foi-nos solicitado uma atividade pela docente Angélica onde, deveríamos procurar algo importante para nós mesmos, algo material, ou até mesmo imaterial! Deveríamos achar algo do que não abríssemos mão de nada nesse mundo!

Por dois dias fiquei pensando e pensando, demorei muito para me tocar que, família é tudo o que temos, então.. pensei em minhas duas casas, nas minhas duas metades, Brasil e Chile!

Eu tenho ambas as bandeiras em casa, e decidi ir atrás, e só achei as 17:40 de hoje (28), demorei para achar essas bandeiras, sério, fiquei o dia inteiro procurando elas para saber que meu papi tinha pego e colocado no seu armário, mas não vem ao caso!

Eu apenas peguei aquilo que me completa, eu peguei minha casa, peguei aquilo que me lembrasse de tudo aquilo que esta longe, e tudo aquilo tenho por perto, e se juntar isso, é tudo aquilo o que quero comigo!


COPO MEIO CHEIO COPO MEIO VAZIO.

Claro que sou feliz por tê-los aqui comigo, família, e claro que sou uma pessoa incompleta, por não tê-los aqui comigo, família.

Para quem não entendeu, tenho uma mãe Chilena, e um pai Brasileiro e, respectivamente, eu tenho uma família no Brasil e outra no Chile.

Vira e mexe eu me pego vendo fotos, eu me pego lembrando de bons momentos que tive com as pessoas que conheço tão pouco e quero tão bem. Lembro de aromas que meu nariz não se incomodaria em acostumar, lembro de sons que poderia ouvir todo dia e sorrir, lembro de imagens que, mostram que a beleza não esta em algo que possamos ver, e sim sentir.

Eu sou tão aceito aqui, por pessoas que me conhecem e me amam, quanto lá, por pessoas que não me conhecem tão bem, mas que me querem bem. Seria um insulto a minha memória não me sensibilizar com lembranças, com desejos infantis e egoístas de querer ter a minha família inteira comigo, mas isso vai de muitos aspectos, eles também tem família, tem amigos, e não quero ser egoísta a ponto de tirar cada um de sua bolha de conforto.

Talvez seja por isso que eu queira ir para bem longe, estudar e recomeçar. Se não posso ficar com os dois, talvez seja melhor não ficar com nenhum, por mais que eu ame a TODOS, talvez seja melhor sumir um pouco e seguir uma outra estrada, uma imaginária, uma utopia.

A saudade, o pior sentimento que existe, bate todo dia em mim, choro aqui como chorei lá, não são lágrimas constantes, mas talvez a imagem que eu passe, de alguém animado, com um copo meio cheio, seja uma imagem equivocada, seja uma imagem falsa. A imagem que mostraria melhor a minha face seria aquela imagem de uma pessoa quieta e sem graça, cansada da rotina, cansada da distância, um copo meio vazio.

Não tenho apenas uma família que mora longe, tenho amigos também, e me refiro a amizades virtuais, de pessoas que nunca me viram e as vezes confiam alguns segredos a mim, mas não vou falar desses paspalhos, abafa.

Na minha cabeça, eu me obrigo a amar e aceitar tudo o que acontece aqui, alguns conflitos de opiniões, a crença de todos, eu não me sinto tão livre quanto gostaria, eu não me manifesto, eu tento conversar com as pessoas para elas não ouvirem, infelizmente eu não me sinto como a águia que gostaria de ser, sim, uma águia, que voa para onde o vento a leva e é independente, que não precisa com que os outros se preocupem com ela, que consiga se virar sozinha, eu realmente não me sinto assim, eu me sinto um passarinho com as penas das asas cortadas por ser tão dependente dos meus pais.. Eu tenho que ser mais.

Queria ser mais útil, mais comunicativo, quando tento eu falho, mas não dá, meu corpo está aqui, minha cabeça e pensamento está lá, com as pessoas que ainda não conheci e com as pessoas que quero conhecer melhor. Escrevo esta carta, escrevo músicas, eu me esforço para ser aceito, e isso é um erro meu, pois eu deveria me aceitar para poder ser aceito, mas..

WP_20150528_17_48_53_Pro

BEM TOMBADO PELO CONDEPHAAT – ROTEIRO REQUINTES DA SÃO PAULO ANTIGA

Localização: Praça Ramos de Azevedo, s/n

Número do Processo: 21752/81

Resolução de Tombamento: Resolução 49 de 23/12/1981

Publicação do Diário Oficial

Livro do Tombo Histórico: inscrição nº 158, p. 34, 28/01/1982

O Teatro Municipal foi construído em terreno desapropriado pelo estado e cedido à prefeitura, através da Lei 627 de 7/2/1902. Projetado por Domiziano Rossi e Cláudio Rossi e construído pelo escritório de Ramos de Azevedo, as obras do teatro iniciaram-se no dia 26/6/1903 e foi inaugurado em 12/9/1911. Desde então, foi palco para ilustres artistas, além de sediar a realização da Semana de Arte Moderna, de 1922. O teatro é exemplar típico da arquitetura oficial do início do século, de linguagem eclética com forte influência neoclássica. Foi edificado com técnica avançada para a época, em alvenaria de tijolos, estrutura de concreto armado e vigamento em ferro sustentando a cúpula e cobertura. O seu interior é ricamente adornado com pinturas em ouro, grande lustre de cristal sobre a platéia, majestosas escadarias, além de uma infinidade de detalhes em relevo. A última restauração, realizada pelo Departamento do Patrimônio Histórico Municipal – DPH entre 1987 e 1992, ressaltou-lhe o estilo original.

GEOGRAFIA, AULA 1

Olá, meus queridos monstrinhos!

Vou publicar o conteúdo da primeira aula de Geografia, do módulo IV.

O Material foi cedido pelo docente César, e espero que vocês possam aprender um pouquinho sobre!


O Que é Geografia?

Geo = Terra
Grafia = Escrita

É a ciência que descreve o planeta em seus aspectos físicos (naturais) e humanos (Sociais/culturais)

Seu objeto de estudo é o ESPAÇO GEOGRÁFICO.


O que é espaço geográfico?

Espaço geográfico = Elementos sociais + Elementos Naturais

Exemplo, Santiago do Chile
Exemplo, Santiago do Chile

Os Elementos invisíveis.

São elementos que compõem o espaço geográfico e não percebemos em nosso meio.

O Som do coração, 2007


Conceitos Geográficos

Lugar = Elementos naturais + Elementos sociais + Afetividade (sentimento de pertencimento a determinado lugar).

Casas de esquimós, no Alasca, EUA
Exemplo, casas de esquimós, no Alasca, EUA

Paisagem = Elementos naturais + Elementos sociais.

Turista no Machu Picchu
Exemplo, uma turista no Machu Picchu

Região = Determinada área com características naturais e sociais que a diferenciam de áreas vizinhas.

Flórida, EUA
Exemplo, a Flórida, EUA

Território = Espaço delimitado em função das relações de poder decorrentes do interesse que estas despertam nas sociedades.

I love Paraisópolis.. tá bom, SP
Exemplo da favela de Paraisópolis, SP

Rede = Conexão entre os mais diversos pontos do globo terrestre. (Globalização)

Escala = Diferentes níveis de análise, saindo do global em direção ao local.

Região vale do aço, MG
Exemplo do mapa da Região vale do aço, MG

Observação sobre escala;

A escala representa que cada centímetro no papel corresponde a 3 km na superfície real.


Olhar Geográfico

O espaço, O tempo, Análise da paisagem.

Anima mundi, a roda.

Os conceitos geográficos deste vídeo que eu notei.

O lugar vai se transformando conforme o tempo, o território muda conforme os novos meios de vida passam a habitar a região, a escala de tempo passa a ser mais veloz quando os humanos chegam, os mesmos tem um tempo muito mais acelerado do que a natureza, e acabam modificando tudo por lá, transformando o lugar das pedras em uma paisagem.


Formas de Análise: Espaço Natural

Sem Título-2

Espaço natural é aquele espaço produzido apenas pela natureza, exemplo do Grand Canyon. Nele não ocorreu nenhuma interferência humana ou nenhuma transformação realizada pelo homem. Levou milhões de anos para a natureza formar uma das maravilhas do mundo, dependeu muito do Clima, da Hidrografia (o Rio Colorado), a vegetação (formadas por iuca e diversos tipos de cactos), e o relevo, que é cerca de 1,5km de altura.


Formas de Análise: Espaço Cultural

Sem Título-2

Tradição = herança cultural, legado de crenças, técnicas etc. de uma geração para outra

Economia = A Geografia Econômica é o estudo da diversidade de condições econômicas sobre a Terra. A economia de uma área geográfica pode ser influenciada pelo clima, pela geologia, Geografia Econômica e também pelos fatores político-sociais.

Patrimônio = Uma herança

Ética = São princípios, que motivam, distorcem, disciplinam ou orientam o comportamento humano, refletindo a respeito da essência das normas, valores, prescrições e exortações presentes em qualquer realidade social.

Política = Forma de governar uma cidade no caso.

Religião = Um valor individual que forma um grupo de indivíduos.

Exemplo usado pelo profº foi os Hindus, que levam comida para o cemitério e as vezes são debochados por turistas que não seguem a religão, os quais dizem que o morto não irá levantar e comer a comida deixada. A forma de resposta apresentada por ele foi de quebrar as pernas desses desrespeitosos;

Quando você deixa as flores no cemitério, eles também não vão levantar do túmulo e cheira-las.

Moral = Que denota bons costumes segundo os preceitos estabelecidos por um determinado grupo social.


Relação entre Geografia e o Guia de Turismo.

No trabalho, os guias podem esbanjar algumas curiosidades sobre geografia, que seria um diferencial!

O relevo, as nuvens, escalas de mapa, explicar sobre montanhas (que por acaso não existem no Brasil), pequenas curiosidades que o tornam “único”e dão destaque ao profissional.

A geografia entra também nos mapas, um guia precisa saber lidar com a leitura e interpretação de mapas.


Sustentabilidade: suprir as necessidades atuais, sem prejudicar as gerações futuras.

Os guias de turismo são agentes facilitadores da informação, portanto, devem ser o exemplo máximo em uma viagem, e não devem ser exemplo apenas em viagens, mas também, no dia a dia.


Referências

AB`SABER, Aziz. O que é ser geógrafo?. Rio de Janeiro. Editora: Record. 2007.
PNUMA. Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente.
SANTOS, M. Pensando o espaço e o homem. São Paulo. Editora: Hucitec. 2007.
TEIXEIRA, Wilson et al. Decifrando a Terra. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2009.


Sei que coloquei coisas demais, mas foi o conteúdo da primeira aula inteira do professor Cesar, uma excelente aula!

Espero que tenham absorvido algo monstrinhos, pois o conhecimento, nunca é demais!

CONJUNTO DA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE VINHEDO.

Qual órgão tombou? 

  • Condephaat

O que é tombamento?

  • O tombamento é o ato de reconhecimento do valor histórico de um bem, que o transforma em patrimônio oficial e institui regime jurídico especial de propriedade, levando em conta sua função social. Um bem histórico é “tombado” quando passa a figurar na relação de bens culturais que tiveram sua importância histórica, artística ou cultural reconhecida por algum órgão que tem essa atribuição.

Local tombado:

  • Conjunto da Estação Ferroviária de Vinhedo.

Quando foi tombado?

  • Inscrição nº 390, p. 113, 11/10/2012

Localização:

  • Rua João Gasparini, Rua Augusto Bombonati, Rua Tabuleirinhos, Avenida Dois de Abril e Rua Monteiro de Barros, sem número.

Número do Processo:

  • 61056/10

Publicação do Diário Oficial:

Sobre a estação:

O Conjunto da Estação Ferroviária de Vinhedo insere-se no primeiro trecho construído pela Companhia Paulista de Estradas de Ferro, à qual se atribui o pioneirismo na eletrificação ferroviária brasileira. A ferrovia impulsionou o desenvolvimento econômico no findar do século XIX na região a noroeste de Jundiaí e Campinas, consolidando ou formando importantes pólos urbanos regionais. O conjunto, composto por Estação Ferroviária, Vila Ferroviária e Cabine de Controle, possui tipologias arquitetônicas que refletem o partido simplificado adotado pela empresa em seus edifícios pioneiros.