Arquivo da categoria: Argentina

SIGNIFICADO DO NOME DOS PAÍSES NA AMÉRICA DO SUL

HOMENAGEM AO DESCOBRIDOR

Colômbia significa algo como “Terra de Colombo”, numa homenagem óbvia ao navegador italiano Cristóvão Colombo (1451-1506), que, como todo mundo sabe, descobriu o continente americano em 1492.

DIVISÃO IGUALITÁRIA

O Equador foi batizado com o mesmo nome da linha imaginária que atravessa seu território e corta o nosso planeta ao meio. A palavra deriva do latim aequus, ou “igual”, numa referência à divisão da Terra em duas partes iguais, os hemisférios Norte e Sul.

POLÊMICA INCA

A origem do nome Peru é controversa, com duas interpretações conflitantes. A primeira afirma que se trata de derivação do nome Birú, um importante chefe inca. Para a segunda, a mesma palavra significa também “terra de riqueza e esperança”.

HERÓI LIBERTADOR

O general e estadista Simon Bolívar (1783-1830) tornou-se um dos principais heróis sul-americanos ao lutar pela independência de vários países da região, inclusive da própria Bolívia, batizada em homenagem a seu libertador.

O FIM DA TERRA

Antes mesmo da colonização, o Chile já era chamado assim pelos índios aimarás, que habitavam o norte do país. Na língua deles, a palavra chilli quer dizer “onde acaba a terra”, referência à posição geográfica do território: o extremo oeste do continente.

PEQUENA VENEZA

A Venezuela deve seu nome a Américo Vespúcio (1454-1512), explorador italiano naturalizado espanhol. Ao visitar a região, ele encontrou indígenas que construíam suas casas em palafitas sobre as águas do lago Maracaibo, no noroeste do país. Isso o fez chamar o lugar de “Pequena Veneza”: Venezuela.

PRATA FARTA

A Argentina impressionou seus descobridores pela grande quantidade de riquezas minerais encontradas em seu solo, principalmente prata. Daí vem seu nome, inspirado em argentum: prata, em latim.

ADEUS INDÍGENA

O Suriname tomou seu nome dos índios surinen, habitantes originais da região. Uma lembrança triste, uma vez que, quando os primeiros exploradores ali chegaram, a tribo já havia praticamente desaparecido, expulsa e dizimada por outros grupos indígenas que passaram a ocupar a área.

TERRA DAS ÁGUAS

A Guiana e sua vizinha Guiana Francesa – situadas entre os rios Orinoco, Amazonas e Negro, além de serem banhadas pelo Oceano Atlântico – eram conhecidas pelos nativos como guyana, termo que, em seu idioma, significa “terra de muitas águas”. A Guiana Francesa obviamente leva esse adjetivo por ser possessão da França.

ÁRVORE EM BRASA

Essa aqui é moleza, hein? Produto de grande importância comercial no século XVI, a árvore de pau-brasil batizou nosso país, onde os colonizadores portugueses encontraram florestas fartas dessa madeira. “Brasil” quer dizer algo como “em brasa”, referência à forte coloração avermelhada do tronco, utilizado para fazer corante.

O RIO É REI

O Uruguai acabou ganhando o mesmo nome que os índios tupis e guaranis haviam dado ao grande rio que atravessa seu território. No idioma deles, a palavra significa “rio dos caracóis”.

CAMPEÕES AQUÁTICOS

Quando o Paraguai foi descoberto pelos espanhóis, a região era habitada por índios chamados payaguaes. Excelentes nadadores e hábeis navegadores, eles viviam às margens do rio que dava nome à tribo. O termo pode ser traduzido como “rabo de mar”, “rio ornado” ou “rio que dá origem ao mar” – mas também identifica um tipo de papagaio.

CALBUCO! EL GIGANTE DESPERTÓ! || CALBUCO! O GIGANTE ACORDOU!

chile1

EFE/Álvaro Vidal

El volcán Calbuco, que hizo dos violentas erupciones después de más de medio siglo de inactividad, seguía inquietando a importantes zonas turísticas del sur de Chile y Argentina, ante una posible nueva erupción.

Después de las dos potentes erupciones del miércoles(22) y jueves(23), que levantaron una pluma de cenizas de más de 15 km, la actividad del volcán había descendido, aunque a primera hora de la mañana una inmensa fumarola que salía del volcán generó preocupación entre los habitantes de las localidades aledañas.

En Puerto Varas, distante a unos 40 km del volcán, las personas se abalanzaron a las calles para mirar el nuevo espectáculo que ofrecía el macizo, que permaneció dormido por 54 años, constató un periodista de la AFP.

Sim embargo, expertos explicaron que no se trató de una nueva erupción, aunque no descartaron que se vuelva a generar un episodio de ese tipo en las próximas horas.

Fue un pequeño pulso de cenizas, que no es igual al de los días anteriores.

dijo en rueda de prensa el director del Servicio Nacional de Geología y Minería (Sernageomin), Rodrigo Álvarez, quien advirtió sin embargo que

estamos aún en lo que es la crisis propiamente tal, por lo que hay una vigilancia instrumental. No es descartable un nuevo pulso (eruptivo).

La zona ubicada en las turísticas ciudades de Puerto Montt y Puerto Varas, a unos 1.300 km al sur de Santiago, se mantenían en alerta roja, con un fuerte resguardo de las Fuerzas Armadas y con las clases en colegios suspendidas.


O Vulcão Calbuco, que teve violentas erupções depois de mais de 50 anos de inatividade, seguia perturbando importante zonas turísticas do sul do Chile e da Argentina com uma possível nova erupção.

Depois das ferozes erupções de quarta-feira(22) e quinta-feira(23) que levantaram uma enorme nuvem de cinzas (15 km), a atividade do vulcão havia diminuído, até que, a primeira hora da manhã, uma imensa emissão de gases de saía do vulcão criou preocupações entre os moradores locais.

No Puerto Varas, 40 km de distância do vulcão, as pessoas foram as ruas para assistir o mais novo espetáculo que o gigante oferecia, ele acabava de despertar, após 54 anos, relatou um jornalista da AFP (Não, o espetáculo não era os vingadores)

Especialistas dizem que a explosão (e o show de imagens), não se tratou de uma nova erupção, embora que não descartem um novo episódio desta “catástrofe” nas próximas horas.

“Foi um pequeno pulso de cinzas, o que não é o mesmo diferente do que houve nos dias anteriores.”

Disse o diretor de Serviço Nacional de Geologia e Mineração (Sernageomin), Rodrigo Álvarez, que alertou porém que

“ainda estamos em uma entrevista coletiva que é a própria crise, para que haja uma vigilância instrumental. Não é descartável um novo pulso. (outra erupção)”

A Zona afetada nas cidades turísticas de Puerto Montt e Puerto Varas, cerca de 1300 km ao sul de Santiago, continuaram com alerta vermelho, com uma forte monitoração das forças armadas e com as aulas suspensas.

Fonte da noticia: laprensa.com.ni