Arquivo da tag: Lembre-se de Mim

LEMBRE-SE DE MIM #7

Olá, monstrinhos lindos.

Foi-me solicitado (junto aos meus colegas) para que fizéssemos uma redação de uma viagem que tenha nos marcado de alguma forma, direta, ou indiretamente, e sem dúvidas, essa viagem a Santiago no ano de 2012 foi a mais especial da minha vida.

Bom, eu vou dividir essa história em vários capítulos, afinal, foi uma experiência tão marcante que eu não quero resumir, eu quero que vocês conheçam o meu lado Chileno, quero que vivam e imaginem como foi, se envolvam e se ‘feliciten’.. portanto, ela terá alguns capítulos que virão ao ar de segunda e sexta, que são os dias onde publico algo pessoal, (quarta feira publico alguma noticia).


TITULO: CUMPLEAÑOS FELIZ! 

IAI! Vimos a neve hein!! Oh, wait! Sh!t.

Bom, pulemos o dia 2/1 e 3/1 porquê eu não lembro mesmo do que fiz nesses dias! Então.. vamos para 4 de Janeiro de 2012, o dia em que minha irmãzinha completou 12 anos! Era mais um dia no paraíso, mais um dia muito quente e seco (infelizmente), mas era um dia muito especial para ela e para nós.

Fizemos todo nosso ‘ritual’, desayuno com ayulla e leite, curtas conversas e muitas histórias excelentes. Subimos, nos arrumamos e ligamos para nosso pai, que queria (e muito) dar os parabéns a minha irmã! E Foi apenas um oi dele que fez a menina cair nas lágrimas, não pude conversar muito com ele (deixei isso para ela), mas matei um pouco da saudade e de todo o lado italiano que tenho! Lembre-se de mim, foi o que pensei. foi  o que eu queria ter levado ao Chile, lembranças. Eu era um babaca, e como um bom irmão, sacaneei minha irmã, tirei sarro por ela ter chorado e etc., não que eu me orgulhe, mas..

Ela tinha ficado um pouco mais feliz, por mais que toda a saudade de casa apertasse seu coração de farinha molhada, mas tínhamos muito pela frente, muito Chile para nós.

Minha mãe e minha avó começaram com os preparativos para a festa, fizeram bolos e doces, enquanto eu e meu padrinho nos dirigíamos ao Lider! (Walmart chileno), para que comprássemos refrigerantes (KEN PIÑA y Canadá Dry). Lá existe uma tecnologia muito insana, onde você coloca uma garrafa retornável em um aparelho, e logo desce um ticket, o qual prova que você pode pegar outro refrigerante, sério, fiquei maravilhado com isso.

Bom, voltamos e tinham chegado meus tios e seu filho, Jaime. Não vou entrar em detalhes porquê minha memória hoje está uma verdade wea, mas eu sei que foi algo muito bom, todos os irmãos lá, os primos, os pais. Foi algo especial, era algo tão perfeito e simples quanto músicas de 3 acordes, era uma união que tenho sorte em ter aqui, e lá.

Cumpleaños feliz
te deseamos a ti
feliz cumpleaños Dany
que los cumplas feliz. ♪♫♪♫

CONTINUA SEXTA-FEIRA.


O Capitulo realmente foi curto, mas, foi um dos mais especiais, e um pequeno inicio do significado do “LEMBRE-SE DE MIM”, obrigado a quem leu, sexta tem mais.

Anúncios

LEMBRE-SE DE MIM #6

Olá, monstrinhos lindos.

Foi-me solicitado (junto aos meus colegas) para que fizéssemos uma redação de uma viagem que tenha nos marcado de alguma forma, direta, ou indiretamente, e sem dúvidas, essa viagem a Santiago no ano de 2012 foi a mais especial da minha vida.

Bom, eu vou dividir essa história em vários capítulos, afinal, foi uma experiência tão marcante que eu não quero resumir, eu quero que vocês conheçam o meu lado Chileno, quero que vivam e imaginem como foi, se envolvam e se ‘feliciten’.. portanto, ela terá alguns capítulos que virão ao ar de segunda e sexta, que são os dias onde publico algo pessoal, (quarta feira publico alguma noticia).

Espero que se envolvam com a história.


TITULO: VALLE NÃO TÃO NEVADO! 

Tudo bem, um menino de 14 anos com toda sua inocência, toda sua fé em ir ao sul do continente e ir ver neve.. tá bom, a vida não é um arco-íris.

Ficamos em torno de 40 minutos no carro enquanto caminhávamos para a maior montanha que eu já tinha visto na minha vida, ela era enorme e era maravilhosa. Percorremos cerca de 40.000 metros para chegar até lá, e tinha muita coisa incrível, como o fato de ter estradas entre as montanhas muito, mas muito melhores que as da cidade que eu vivo, sem buraco, fora a visão né da vida ao redor. Meu tio dirigia todo o percurso enquanto os dois brasileiros caipiras do carro ficavam fotografando tudo o que via (sim, eu e minha irmã), mas era tanta coisa bonita e nova para tirar foto que as pilhas da câmera acabaram e ficamos sem fotos boas. 😦

O Percurso seguia e eu ouvi o conselho do meu tio para todos vestirem a blusa de frio, claro que não desobedeceria né? Pois é, eu não ia desobedecer o cara, mas a anta aqui acabou deixando a jaqueta sobre a cama no momento que foi escovar os dentes, e nem se quer voltou para pegá-la. Eu ainda estava no carro, até que paramos para beber água e ver a visão de lá do ponto onde estávamos (cerca de 1500 metros acima do nível do mar). Descemos todos do carro, felizes e inocentes, vendo tudo pequenininho, até eu notar que estava frio, estava vento, e a magreza em pessoa estava trincando os dentes (bem feito), mas aproveitando ao máximo e não parando quieto para que se aquecesse (x). Mas agora imaginem vocês, caros leitores, se a 1500 metros acima do nível do mar estava uns 15 graus, imaginem a 3.000!!

Voltamos ao carro onde seguimos a viagem, mas o pior estava por vir! Avistei acima a estrada que teríamos de seguir, e monstrinho da minha vida, quanta curva, eram pelo menos 80, e grande maioria de 180º, (se você não tem estômago, como eu, não vá para o Valle Nevado, vá para o Maipo.), eu fiquei com os olhos esbugalhados, eu fiquei em estado de choque, pois a cada curva você podia ver a queda, um deslize e puft, eu tinha muito para viver, pelo amor de tudo o que você crê tio, dirija com cuidado, não derruba essa bagaça!

Sobrevivemos! Diferente de um casal argentino cujos quais tiveram o carro que parou de funcionar o motor, mas ajuda oferecemos, eles que recusaram! Educadamente, mas recusaram. :p

Chegamos lá, a 3.000 metros do chão, chegamos lá, onde o sol batia forte e o frio batia mais forte ainda, algo bem estranho, mas muito bom! Eu particularmente esperava ver neve naquela altura, mas vi coisas ainda mais legais! Os Condor, Bodes, Lhamas, o lado argentino que caía uns raios insanos!

O Medo tinha acabado, por lá tinha um banquinho, um hotel lindo, a pista de Esqui sem neve, era o Valle Nevado não tão nevado assim, tinha gente de toda América por lá, gente da Bahia, Peruanos, Argentinos, tinham de todos os cantos que você imaginar! Adentrei ao hotel, e lá tinha de tudo! Um banheiro enorme de lindo, quartos belíssimos, alguns negócios para “comer”.. era tão fácil de perder o ar lá (literalmente, corri por uns 30 segundos e quase morri de canseira), nunca corra a 3.000 metros de altura, e se você tiver asma+medo de altura, nem chegue perto, vá para o Maipo como recomendei acima! Mas se você tiver a “coragem que eu tive” (só subi porquê não sabia dessas curvas), faça bom proveito, espere para tirar fotos lá de cima, na volta! E procure ouvir a canção do Valle, porque Se van los montañeros, como um guia de lá diz!

Tudo bem, não vem ao caso o fato das pilhas da maquina terem acabado, mas, fui um privilegiado de ter conhecido aquilo, e ter visto uma placa onde um bode empurrava pedras na pista. Eu me borro de medo de altura, mas.. foi a segunda visão mais linda que já tive na vida.

CONTINUA SEGUNDA-FEIRA.


LEMBRE-SE DE MIM #5

Olá, monstrinhos lindos.

Foi-me solicitado (junto aos meus colegas) para que fizéssemos uma redação de uma viagem que tenha nos marcado de alguma forma, direta, ou indiretamente, e sem dúvidas, essa viagem a Santiago no ano de 2012 foi a mais especial da minha vida.

Bom, eu vou dividir essa história em vários capítulos, afinal, foi uma experiência tão marcante que eu não quero resumir, eu quero que vocês conheçam o meu lado Chileno, quero que vivam e imaginem como foi, se envolvam e se ‘feliciten’.. portanto, ela terá alguns capítulos que virão ao ar de segunda e sexta, que são os dias onde publico algo pessoal, (quarta feira publico alguma noticia).

Espero que se envolvam com a história.


TITULO: WELCOME TO PARADISE! 

Olá, eu acordei e nem se quer estava sóbrio! Era um estase imenso! O Que foi aquilo na noite passada? Foi demais, eu tinha acabado de zerar a vida sem nenhuma dúvida! O dia era muito bem descrito pelo som do Green Day (Welcome to Paradise)

Errado! As melhores coisas estavam por vir.

Me levantei mais cedo nesse 1/1/12, mal dormi de tanta adrenalina e ansiedade para o que poderia vir a seguir. Logo de manhã já estava um tanto quanto caloroso, afinal, era verão, e isso não é algo bom para quem detesta o calor. (Lá  no verão é quente, torno de 32ºC e tem um clima muito árido) Mas tudo bem, isso não era nenhuma novidade, já tinha me adaptado em 4 dias, mas bem que uma chuvinha não iria matar ninguém! Pois bem, na manhã daquele dia fui até o Jumbo, onde no mesmo, não fiz absolutamente nada! :p Brincadeiras a parte, naquele dia, fiquei em estado de choque ao entrar em uma loja (abcdin), um vendedor me abordou e eu fiquei sem saber o que fazer, parecia um idiota olhando para os lados com a voz travada, mas por sorte algumas palavras vieram poeticamente até mim:

No hablo español, soy Brasil!

O Vendedor me olhou e continuou a me encarar, será que eu tinha dito algo errado? Será que eu xinguei ele? Nossa.. o que foi que eu fiz? E a resposta veio logo em seguida quando ele sorriu e disse algo do tipo:

bla bla bla Tile.

E eu apenas balancei a cabeça e saí de fininho, eu estava falando com o Eminem? Como ele fala rápido! Sai sem ter entendido apenas a palavra “Tile”, só! Eu nunca mais entrei em uma loja por medo de ser abordado. MENTIRA A sensação de perigo me seduzia! E Entrei em diversas outras lojas, mas por sorte, não fui abordado em nenhuma.

Voltei para casa, e logo almocei, comentei com minha mãe e irmã o que fiz e ambas caíram na gargalhada.

Após o almoço, perguntei ao meu tio quais eram os planos de hoje, com uma expressão animada ele respondeu:

Surpresa, mas pegue a roupa de frio.

Fiquei a imaginar o que poderia ser.. será que? Eu ia ver neve? Só ele saberia me dizer, mas tudo bem. Sem nenhuma delonga, quando todos terminaram o almoço, subi correndo as escadas e fui até o quarto, pedi a minha mãe uma jaqueta cuja qual deixei em cima da cama para que pudesse escovar os dentes.

Desci sem voltar ao quarto e me despedi do meu avô pela primeira vez, enquanto todos ainda se arrumavam, pediram para que eu pegasse algumas garrafas de água (do garrafão, pois a água da torneira faz mal), o que eu fiz, levei até o porta-malas do carro e fiquei no aguardo. Novamente nos despedimos do meu vô e em seguida fomos os 5 (eu, mãe, irmã, tio, avó) para dentro do carro. Estávamos indo para onde eu suspeitava! Estávamos indo para os Andes!

CONTINUA SEXTA-FEIRA.


Por ironia do destino, perdi 70% das fotos dessa viagem, pois a câmera quebrou e o cartão de memória acabou formatado! Essa imagem principal se trata de Mendoza (Argentina), e foi pega no UOL. ©

LEMBRE-SE DE MIM #4

Olá, monstrinhos lindos.

Foi-me solicitado (junto aos meus colegas) para que fizéssemos uma redação de uma viagem que tenha nos marcado de alguma forma, direta, ou indiretamente, e sem dúvidas, essa viagem a Santiago no ano de 2012 foi a mais especial da minha vida.

Bom, eu vou dividir essa história em vários capítulos, afinal, foi uma experiência tão marcante que eu não quero resumir, eu quero que vocês conheçam o meu lado Chileno, quero que vivam e imaginem como foi, se envolvam e se ‘feliciten’.. portanto, ela terá alguns capítulos que virão ao ar de segunda e sexta, que são os dias onde publico algo pessoal, (quarta feira publico alguma noticia).

Espero que se envolvam com a história.


TITULO: SOBRE A ESCADA! 

Era tarde, e eu tinha acabado de chegar do tour por Ñuñoa.

Subi para o quarto dos fundos da casa e peguei o meu laptop, onde de lá mandei algumas mensagens desejando uma ótima virada de ano para alguns amigos e familiares, algo bem rápido mesmo, não queria ficar na frente de um computador. Em torno de 30 minutos, eu já tinha saído do quarto e ido para o banheiro tomar um banho, pois disseram que em pouco tempo meus tios iriam chegar para passar a virada de ano conosco, ótimo. Pedi para que ligassem o gás se não eu iria congelar ali mesmo, e eu tomei um banho, mas nem pensem nisso.

Terminei o banho e me dirigi ao quarto, lá eu vesti uma calça, uma camisa e calcei meus tênis. Por um breve momento fiquei parado na ponta da cama, olhando para a parede e pensando como seria o meu ano novo longe do meu pai, dos meus tios e tias brasileiros, dos meus avós.. eu não sei como não pensar nisso, família é tudo para mim, como não falar dela? Após alguns minutos fui chamado no quarto pela minha mãe, e de lá desci, onde me encontrei com meus avós, tios, irmã e meu primo Jaime. Estavam todos conversando, felizes por estarem ali, assim como eu estava.

Era noite, minha avó e minha mãe haviam preparado um peru e outros aperitivos para degustarmos conforme a conversa ia evoluindo.. era 22:00Hs e o jantar estava servido! Era muita coisa gostosa para poder reagir! Ken Piña, o melhor refrigerante do mundo, algumas batatas, milho, céboulet, o próprio peru.. devo ter ganhado muitos quilos, deve ser por isso que dizem que quando vamos para a casa dos avós, nos voltamos de lá bem cheiinhos. Após todos terem terminado a janta, subi as escadas me dirigi ao banheiro onde escovei meus dentes. E pós o termino, abaixei a cabeça e fiquei a apreciar a escada, onde sentei na mesma. Fiquei alguns momentos a pensar em como todos estariam, e como seria bom, todos estarem comigo, minha família inteira reunida, mas isso não era possível, e nunca vai ser.

Passaram-se uma hora e ligamos a TV, onde de lá fizemos a contagem regressiva para o inicio do fim Maia. Tudo bem, deu 00:00, todos nos abraçamos, felizes por mais um ano ter passado, e esse era um ano especial, era meu primeiro incio de ano com essas pessoas! Mas por um momento exitei, perguntei ao meu tio em questão aos fogos de artifício, e o qual a razão de eu não estar ouvindo eles, até que novamente fui surpreendido. Ele disse que quanto a cultura, eles esperam uma hora para que todos os familiares se cumprimentem e se encontrem na principal avenida do país, a Grécia.

Meu primo e meus tios partiram para suas casas, e logo após isso, saímos de casa onde eu vi um grupo de pessoas fazendo a maior festa, olhei para meu tio e minha mãe, e nós 4 (Daniely também foi) os seguimos, eu principalmente. Todos felizes e eu como um cachorrinho os seguindo, foi hilário, eu me infiltrei entre eles e quase me perdi da minha família, mas o que é a vida sem riscos? Chegamos todos a Av., a caminhada levou uns 5 minutos e por onde aquele grupo passava, era festa, até quem não ia para a Av., nos desejou um excelente 2012.

Eis a principal parte deste ano novo! Chegamos todos a Av., como disse acima, e logo que nos infiltramos naquela multidão de chilenos (cheio de gatinhas que por alguma razão, olhavam para mim *deve ser minha nacionalidade, brasileiro é facilmente reconhecido*), todos começaram a contar de 10 a 0! E Quando chegaram ao número 0, foi a maior barulheira com os fogos de artificio mais lindos que já vi na vida! Era gente que não se conhecia se abraçando novamente, era algo mágico, eram pessoas calorosas e convidativas, todos estavam diferentes, e isso era excelente! Era o Chile nos dando boas-vindas, CHI CHI CHI, LE LE LE, VIVA CHILE! 

CONTINUA SEGUNDA-FEIRA.

LEMBRE-SE DE MIM #3

Olá, monstrinhos lindos.

Foi-me solicitado (junto aos meus colegas) para que fizéssemos uma redação de uma viagem que tenha nos marcado de alguma forma, direta, ou indiretamente, e sem dúvidas, essa viagem a Santiago no ano de 2012 foi a mais especial da minha vida.

Bom, eu vou dividir essa história em vários capítulos, afinal, foi uma experiência tão marcante que eu não quero resumir, eu quero que vocês conheçam o meu lado Chileno, quero que vivam e imaginem como foi, se envolvam e se ‘feliciten’.. portanto, ela terá alguns capítulos que virão ao ar de segunda e sexta, que são os dias onde publico algo pessoal, (quarta feira publico alguma noticia).

Espero que se envolvam com a história.


TITULO: A ÚLTIMA VEZ DO ANO! OU FOI A PRIMEIRA?  

Eu já estava feliz, feliz até demais. O Primeiro dia passou tão rápido, o segundo então.. meu primo, minha tia, minha família estava lá comigo.

Despertei nesse 31 de Dezembro sem a menor consciência de que amanhã já era o ano do juízo final, do fim do mundo. Bah, grande coisa! O mundo poderia ter acabado naquele momento que eu teria ido para uma melhor de forma muito feliz, mas por sorte, estou aqui hoje lhes escrevendo essa história. Tomei o desayuno, me arrumei para um passeio, mas bang! Só sairíamos a tarde.. ( 😦 ), isso foi um tiro no coração, mas tudo bem! Sem saber o que fazer, peguei o laptop que eu havia ganhado de meu avô e iria descobrir como o mesmo funcionava, mas tá aí, mexer em um computador cujas letras do teclado são diferentes a ponto de você apertar uma tecla (sem olhar)e sair outra, ou quem sabe tentar abrir alguns sites que usava no cotidiano (Orkut na época) e estar tudo escrito em espanhol, ou ir conversar com um amigo no MSN e ficar usando alguns sinais bem diferentes (ñ, ¿? e ¡ !), eles se divertiam, e eu escrevia tudo errado! O ç era substituído pelo ñ,  o ? pelo ¿ e assim por diante.

Bom, fiquei certo tempo na frente de um laptop até irmos almoçar, logo após o almoço (onde todos esperavam o ultimo terminar sua refeição para que todos a mesa se levantassem), nos dirigimos novamente ao estádio nacional que por sua vez, estava fechado, mas isso não foi motivo de desistirmos do pequeno tour pelo bairro. A Frente do estádio, tem uma praça com uma estátua, onde lá ficamos, ouvindo quem era aquele na estátua (um moai). Demos a volta entorno do estádio, onde visei um local alto e grande, bem parecido com um shopping, mas não era um shopping, e sim um “mercado”, enquanto me dirigia até lá com meus familiares, algo me surpreendeu, e muito! Os motoristas sempre paravam para que pudéssemos atravessar na faixa, claro que eu não sabia, e acabava ficando parado na ponta da calçada encarando o motorista que estava atrás da faixa, e eu ficava parado, e o motorista ficava parado me olhando, até que uma nobre alma me avisou de que os motoristas respeitavam as leis de trânsito a ponto de pararem na faixa de pedestre para que os mesmos atravessasse (é sério, onde eu moro, eu seria atropelado se caminhasse na faixa com algum carro vindo).

Atravessamos aquela avenida Grécia e fomos a um mercado da comuna de Ñuñoa chamado Jumbo, e logo quando entro, uma nova surpresa, um cheiro tão gostoso que nunca havia sentindo antes batia em minha face de uma forma tão.. apaixonante! Aquele cheiro que até hoje não sei do que é me seduz, e toda vez que vou a Santiago, quero passar pelo Jumbo só para sentir o cheirinho.. bom, de qualquer forma, aquele lugar não era só um mercado com tudo de bom dentro, ele tinha mais alguns andares (3 se não me falha a memória), com várias lojas e franquias, no ultimo andar tem um cinema (que utiliza a tecnologia de tela curvada, onde a imagem fica ainda melhor), e tem também as lanchonetes para almoço e um local para jogos, próximo a praça de alimentação podemos ver um lado de Santiago (infelizmente não é o dos andes), e o mais legal, é a pista de boliche cuja qual fui jogar com meus primos dias/anos mais tarde.

Após algum tempo por lá, voltamos para a casa, onde lá, comecei a me arrumar para a noite que sem dúvida, foi a melhor da minha vida..

CONTINUA SEXTA-FEIRA.


Ocorreu um imprevisto, e varias de minhas fotos daquela viagem ao Chile foram retiradas do cartão de memória quando a câmera pifou.. então tive que ir atrás de alguma foto de Santiago na internet. ©

LEMBRE-SE DE MIM #2

Olá, monstrinhos lindos.

Foi-me solicitado (junto aos meus colegas) para que fizéssemos uma redação de uma viagem que tenha nos marcado de alguma forma, direta, ou indiretamente, e sem dúvidas, essa viagem a Santiago no ano de 2012 foi a mais especial da minha vida.

Bom, eu vou dividir essa história em vários capítulos, afinal, foi uma experiência tão marcante que eu não quero resumir, eu quero que vocês conheçam o meu lado Chileno, quero que vivam e imaginem como foi, se envolvam e se ‘feliciten’.. portanto, ela terá alguns capítulos que virão ao ar de segunda e sexta, que são os dias onde publico algo pessoal, (quarta feira publico alguma noticia).

Espero que se envolvam com a história.


TITULO: AYULLA, DESAYUNO, O QUÊ? O PALCO DA FINAL DA COPA? 

O Primeiro dia passou tão rápido, que nem me recordo de ter ido dormir! Me recordo de ir para fora da casa com meu padrinho, até uma padaria, onde lá mesmo conheci duas garotas da Republica Dominicana, e também de ter tomado um picolé bem diferente (2 em 1), mas o que já não era diferente? A Língua era, o céu claro as 19:00 horas era, as pessoas eram, o jeito de todos olharem para um brasileiro com uma certa expressão de felicidade, era incrível! É INCRÍVEL! Por lá, os brasileiros são bem vindos, até demais.

Passou-se o primeiro dia, e o segundo nasceu! 9 Horas da manhã e toda minha expectativa tinha tido uma revira volta! Eu estava ansioso e feliz, tinha esquecido por completo da internet, eu tinha um quartinho pequeno, mas confortável, eu tinha um notebook que estava louco para usar, e um celular com câmera para fotografar tudo! No dia 30, logo que despertei fui chamado para tomar um desayuno”, claro que não fazia ideia do que era, porém me direcionei a sala, onde lá mesmo tomei o tal do “desayuno“, junto dele vinha uma “Ayulla” que eu tinha comprado na noite passada com meu tio, um pão típico chileno, um suco de laranja e queijos.. hm.., logo que terminei notei que não podia sair da mesa até que a ultima pessoa tivesse concluído sua refeição (Um belo habito, é bem chato deixar alguém sozinho na mesa), conversamos bastante, com meu portunhol, onde eu achava que para me comunicar com eles, tudo deveria terminar com ien, po e ya.. enfim, não era bem assim, como eles falam rápido meus queridos monstrinhos.

Após o término, subi ao meu quarto e me troquei brevemente, e logo quando desci, uma bela surpresa, meu primo Jaime estava lá junto de minha tia Mari (gêmea de minha mãe), não consegui me conter e logo abri um sorriso que ia de orelha a orelha, meu único primo homem de primeiro grau .uhu, foi algo muito legal, ele tinha 3 anos a menos que eu, e já tinha quase minha altura, mas de que importa? Abracei minha tia e meu primo, e de lá, fomos todos conhecer a vizinhança.

Primeiramente, conhecemos as milhões de escolas que tem por lá, aquele bairro tem mais escola do que minha cidade, é demais! As alunas com um uniforme muito lindo que ó.. e os meninos parecendo com uma roupa de senhores ricos.. (foto), claro que não os vi fisicamente naquela época, afinal, era férias. Mas voltando, passamos em frente a uma escola de futebol da Universidad del Chile, conhecida carinhosamente por todos do país como “La U”, e enfim seguimos mais um pouquinho, quando nos deparamos com o palco da final do mundial de 62.. o local onde o Brasil foi o Bi mundial, o estádio nacional Julio Martínez Prádanos, um estádio multiuso, público, limpo, e o mais lindo que já vi na minha frente! Tinham pistas de atletismo, quadras de tênis, um hotel, piscinas cobertas.. e o melhor de tudo, ESTAVA TENDO UM JOGO! :O

Creio que nesse momento, eu usei todo o poder de um Brasileiro, fui lá com uma carinha de cachorro que caiu da mudança e machucou a patinha e brevemente pedi em PT-BR (Não é um partido politico, é português gente.) se eu e minha família poderíamos ver o jogo e entrar no estádio.. e conseguimos, pisamos no gramado, entramos no vestiário, e os fanáticos por futebol puderam dar um chute na bola! Claro que era um jogo beneficente entre famosidades da televisão chilena, mas.. eu fiz um gol no estádio Nacional, e o Fred não, portanto, eu sou um centro-avante melhor que ele.

CONTINUA SEGUNDA-FEIRA.


Ocorreu um imprevisto, e varias de minhas fotos daquela viagem ao Chile foram retiradas do cartão de memória quando a câmera pifou.. então tive que ir atrás de alguma foto de Santiago na internet.

LEMBRE-SE DE MIM #1

Olá, monstrinhos lindos.

Foi-me solicitado (junto aos meus colegas) para que fizéssemos uma redação de uma viagem que tenha nos marcado de alguma forma, direta, ou indiretamente, e sem dúvidas, essa viagem a Santiago no ano de 2012 foi a mais especial da minha vida.

Bom, eu vou dividir essa história em vários capítulos, afinal, foi uma experiência tão marcante que eu não quero resumir, eu quero que vocês conheçam o meu lado Chileno, quero que vivam e imaginem como foi, se envolvam e se ‘feliciten’.. portanto, ela terá alguns capítulos que virão ao ar de segunda e sexta, que são os dias onde publico algo pessoal, (quarta feira publico alguma noticia).

Espero que se envolvam com a história.


TITULO: QUEBRANDO EXPECTATIVAS

Era apenas mais um ano na casa nova, internet o dia todo, eu não fazia absolutamente nada, afinal, nenhuma pessoa da minha faixa etária morava aqui, enfim, poderia ter sido um ano bem comum, se não fosse uma notícia, “nós vamos para o Chile, ficar na casa do vô e da vó”. A principio eu achei algo bem chato, pois não queria deixar de ficar na frente do computador por nada, mas.. eu não decidia nada naquela época (e muito menos hoje).

Fizemos nossas malas e levamos algumas lembranças daqui para lá, afinal, não víamos muitas das pessoas de lá a anos, e seria algo memorável. O Dia chegou, 29 de Dezembro, e deu 4 da manhã quando todos nós acordamos, com algumas despedidas aos meus avós onde dizíamos “Já já voltamos a nos ver”,  e partimos para o Viracopos, onde meu pai carinhosamente nos despachou e despediu-se com um abraço apertado. Na ida daquele voo, saímos de Campinas e fizemos escala em Montevidéu, no Uruguai, onde ficamos por lá cerca de 2 horas.

O voo foi tranquilo e lá estávamos nós em Santiago, a principio estranhei muito, afinal, passei pelos Andes e não vi neve, algo que para mim era inadmissível, mas claro, era uma criança irônica, e nem lembrava que era verão, eu apenas julgava que lá, o local onde ia, seria muito frio apenas pelo fato de ser o sul do continente. .Mas continuando, os julgamentos tolos de uma criança não vale a pena. Bom, cheguei ao aeroporto, peguei minhas malas e a primeira coisa que vi foram meu padrinho Ivan e minha avó Yolli, e aquilo me fez esquecer de muitas coisas, internet, o porquê de minha pessoa não querer estar lá e etc., foi algo mágico, fazia ao menos 3 anos que não os via, e a primeira coisa que me veio a mente era, eu vou matar a saudade e aproveitar! Caminhei até eles e os dei um abraço, sem pensar nas malas que tinha deixado no chão por estarem muito pesadas (Tudo bem, 15 KG, mas eu ‘era’ um fracote). Bom, fomos até o carro e de lá eu fui tendo algumas aulas, foi um dos meus primeiros contato com o turismo, afinal, meu tio e minha avó me explicavam o que cada prédio significava, claro que não foi dito de todos, mas daqueles mais importantes, o prédio mais alto da América latina (até aquele tempo), o rio que cortava a cidade, o túnel que passava por debaixo do mesmo.. enfim, muitas coisas. Após uns 30 minutos, chegamos a minha querida Ñuñoa, e consequentemente ao condomínio onde meu avô mora até hoje.

Ao entrar naquela casa relativamente pequena, mas muito bonita, fui recebido com um abraço pelo meu querido avô, ele nos acomodou e nos ofereceu uma bebida chilena, chamada Ken Piña (um refrigerante de abacaxi), que por sinal, é o melhor refrigerante que já tomei. Voltamos a sala, e como era época de natal (eu realmente não esperava um presente, mas ganhei um), eu e minha irmã fomos presentados (novamente), ela uma TV e eu um Laptop, e o belo Guilherme, ficou lá, de boca aberta olhando para tudo a volta, pensando que era uma pegadinha, afinal, na minha mente preconceituosa, tudo era caro como é aqui no Brasil, e por sorte, foi um equivoco, afinal, lá é bem melhor que a minha pátria amada. Voltando ao tema, foi incrível, as 3 primeiras horas na cidade haviam quebrado TODAS as minhas expectativas, e muito ainda estava por vir.

CONTINUA SEXTA-FEIRA.


Ocorreu um imprevisto, e varias de minhas fotos daquela viagem ao Chile foram retiradas do cartão de memória quando a câmera pifou.. então tive que ir atrás de alguma foto de Santiago na internet. ©