Arquivo da tag: Sustentabilidade

CESAR, AULAS DE GEOGRAFIA, 02 – 09

AULA 02

CIRCUITO DAS FRUTAS

ESTÂNCIAS, IDH, CIRCUITO DAS FRUTAS


AULA 03

ATMOSFERA, CLIMA


AULA 04

CICLO HIDROGRÁFICO, ÁGUA

GEOMORFOLÓGICO,  VULCÕES E TERREMOTOS, FORMAS EXÓGENAS, RELEVO, FORMAÇÃO DO SOLO, RELEVO DO ESTADO DE SP
VEGETAÇÃO, INTERAÇÃO ENTRE CLIMA, RECURSOS HÍDRICOS E VEGETAÇÃO, BIOMAS MUNDIAIS E BRASILEIROS, HOTSPOTS DE BIODIVERSIDADE

URBANIZAÇÃO, REDE E HIERARQUIA URBANA, BRASIL: REGIÕES METROPOLITANAS, QUESTÕES AMBIENTAIS E URBANAS, POLUIÇÃO

FORMAS DE ORIENTAÇÃO, CARTOGRAFIA/MAPAS, TIPOS DE MAPAS, ELEMENTOS QUE COMPÕEM OS MAPAS, FUSOS HORÁRIOS.

CULTURA, ETNIA, SOCIEDADE
Referência as aulas do professor Cesar!

GEOGRAFIA, AULA 1

Olá, meus queridos monstrinhos!

Vou publicar o conteúdo da primeira aula de Geografia, do módulo IV.

O Material foi cedido pelo docente César, e espero que vocês possam aprender um pouquinho sobre!


O Que é Geografia?

Geo = Terra
Grafia = Escrita

É a ciência que descreve o planeta em seus aspectos físicos (naturais) e humanos (Sociais/culturais)

Seu objeto de estudo é o ESPAÇO GEOGRÁFICO.


O que é espaço geográfico?

Espaço geográfico = Elementos sociais + Elementos Naturais

Exemplo, Santiago do Chile
Exemplo, Santiago do Chile

Os Elementos invisíveis.

São elementos que compõem o espaço geográfico e não percebemos em nosso meio.

O Som do coração, 2007


Conceitos Geográficos

Lugar = Elementos naturais + Elementos sociais + Afetividade (sentimento de pertencimento a determinado lugar).

Casas de esquimós, no Alasca, EUA
Exemplo, casas de esquimós, no Alasca, EUA

Paisagem = Elementos naturais + Elementos sociais.

Turista no Machu Picchu
Exemplo, uma turista no Machu Picchu

Região = Determinada área com características naturais e sociais que a diferenciam de áreas vizinhas.

Flórida, EUA
Exemplo, a Flórida, EUA

Território = Espaço delimitado em função das relações de poder decorrentes do interesse que estas despertam nas sociedades.

I love Paraisópolis.. tá bom, SP
Exemplo da favela de Paraisópolis, SP

Rede = Conexão entre os mais diversos pontos do globo terrestre. (Globalização)

Escala = Diferentes níveis de análise, saindo do global em direção ao local.

Região vale do aço, MG
Exemplo do mapa da Região vale do aço, MG

Observação sobre escala;

A escala representa que cada centímetro no papel corresponde a 3 km na superfície real.


Olhar Geográfico

O espaço, O tempo, Análise da paisagem.

Anima mundi, a roda.

Os conceitos geográficos deste vídeo que eu notei.

O lugar vai se transformando conforme o tempo, o território muda conforme os novos meios de vida passam a habitar a região, a escala de tempo passa a ser mais veloz quando os humanos chegam, os mesmos tem um tempo muito mais acelerado do que a natureza, e acabam modificando tudo por lá, transformando o lugar das pedras em uma paisagem.


Formas de Análise: Espaço Natural

Sem Título-2

Espaço natural é aquele espaço produzido apenas pela natureza, exemplo do Grand Canyon. Nele não ocorreu nenhuma interferência humana ou nenhuma transformação realizada pelo homem. Levou milhões de anos para a natureza formar uma das maravilhas do mundo, dependeu muito do Clima, da Hidrografia (o Rio Colorado), a vegetação (formadas por iuca e diversos tipos de cactos), e o relevo, que é cerca de 1,5km de altura.


Formas de Análise: Espaço Cultural

Sem Título-2

Tradição = herança cultural, legado de crenças, técnicas etc. de uma geração para outra

Economia = A Geografia Econômica é o estudo da diversidade de condições econômicas sobre a Terra. A economia de uma área geográfica pode ser influenciada pelo clima, pela geologia, Geografia Econômica e também pelos fatores político-sociais.

Patrimônio = Uma herança

Ética = São princípios, que motivam, distorcem, disciplinam ou orientam o comportamento humano, refletindo a respeito da essência das normas, valores, prescrições e exortações presentes em qualquer realidade social.

Política = Forma de governar uma cidade no caso.

Religião = Um valor individual que forma um grupo de indivíduos.

Exemplo usado pelo profº foi os Hindus, que levam comida para o cemitério e as vezes são debochados por turistas que não seguem a religão, os quais dizem que o morto não irá levantar e comer a comida deixada. A forma de resposta apresentada por ele foi de quebrar as pernas desses desrespeitosos;

Quando você deixa as flores no cemitério, eles também não vão levantar do túmulo e cheira-las.

Moral = Que denota bons costumes segundo os preceitos estabelecidos por um determinado grupo social.


Relação entre Geografia e o Guia de Turismo.

No trabalho, os guias podem esbanjar algumas curiosidades sobre geografia, que seria um diferencial!

O relevo, as nuvens, escalas de mapa, explicar sobre montanhas (que por acaso não existem no Brasil), pequenas curiosidades que o tornam “único”e dão destaque ao profissional.

A geografia entra também nos mapas, um guia precisa saber lidar com a leitura e interpretação de mapas.


Sustentabilidade: suprir as necessidades atuais, sem prejudicar as gerações futuras.

Os guias de turismo são agentes facilitadores da informação, portanto, devem ser o exemplo máximo em uma viagem, e não devem ser exemplo apenas em viagens, mas também, no dia a dia.


Referências

AB`SABER, Aziz. O que é ser geógrafo?. Rio de Janeiro. Editora: Record. 2007.
PNUMA. Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente.
SANTOS, M. Pensando o espaço e o homem. São Paulo. Editora: Hucitec. 2007.
TEIXEIRA, Wilson et al. Decifrando a Terra. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2009.


Sei que coloquei coisas demais, mas foi o conteúdo da primeira aula inteira do professor Cesar, uma excelente aula!

Espero que tenham absorvido algo monstrinhos, pois o conhecimento, nunca é demais!

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO TURISMO

Segue abaixo Cartilha de Sustentabilidade elaborada por nossa sala, na matéria de Sustentabilidade e Turismo ministrada pelo docente Marcelo Schmidt.

Projeto para Manual do Sistema de Gestão da Qualidade

Técnico em Guia de Turismo

Boas práticas para sustentabilidade de meios de hospedagem

Sugestão para aplicação teórica inicial da ABNT NBR 15401:2014

Inexistência de formulários e indicadores de desempenho aptos a evidenciar a

implantação eficaz do SGQ.

SGQ simplificado para fins unicamente didáticos não indicado para treinamento

de profissionais da qualidade.

I. Sistema de Gestão da Qualidade

1. Registro do sistema de gestão e controle de documentos

a) Nossa empresa registra as atividades turísticas no FO 001 (registro de

atividades turísticas internas)

b) Nossa empresa adota a FO 002 (padrão para recrutamento, treinamento

e reciclagem dos funcionários internos)

c) Os registros, documentos e/ou manuais de atividades do seu meio de

hospedagem são de fácil localização e estão disponíveis para todos os

interessados.

d) Por meio da confirmação dos dados quando cliente retorna em nossa

empresa.

e) Estes dados são arquivados através de um banco de dados (nuvem).

f) O processo de aprovação de documentação e por meio do FO 003.

2. Auditoria

a) Em nossa empresa existe um mecanismo para verificar estas ações

planejadas e ocorrem de maneira eficiente.

b) Nossa empresa realiza auditorias e com elas verificamos se as ações

planejadas de maneira eficiente durante o processo de execução.

c) Os documentos internos são arquivados conforme ocorrem as auditorias

internas

3. Análise crítica

a) Periodicamente são analisadas as informações relacionadas à

satisfação de cliente, objetivos e metas, resultados de auditoria interna e

monitoramentos.

b) Todas nossas práticas são realizadas nas áreas e por atividades do

meio de hospedagem.

c) Após a análise destes documentos, eles são arquivados em nosso

banco de dados.

d) Por meio de constantes ações de aprimoramento dos meios de

hospedagem

4. Não conformidade, ações corretivas e preventivas.

a) Após as ações serem verificadas são corrigidas as quais não estão

sendo cumpridas segundo a FO 003.

b) São investigadas as causas ao serem verificados os problemas e

reclamações apuradas de acordo com o tópico 1.

c) São tomadas novas ações sempre que são identificados erros no

processo de correções e eliminação das causas dos problemas.

II. Atendimento aos requisitos ambientais para o turismo sustentável

1. Preparação e atendimento a emergências ambientais.

a) Nossos funcionários são constantemente treinados para o atendimento

emergencial, através de provas e atividades, o que é comprovado.

b) Além dos treinamentos constante dos nossos funcionários, existe um

local com equipamentos especiais para emergências ambientais.

c) Todos os funcionários agem preventivamente para evitar o riscos

ambientais.

d) Todos nossos colaboradores são informados sobre riscos ambientais

sua prevenção e solução em caso de acidentes.

e) Os meios de hospedagem são orientados a manter documento para

registro de todos os acidentes, para solução da causa, ações

preventivas e corretivas.

2. Áreas naturais, flora e fauna.

a) Os nossos colaboradores recebem sacolas recicláveis para coletar

resíduos.

b) Os nossos colaboradores, clientes e parceiros são proibidos

contratualmente de comercializar espécies nativas, sob risco de

aplicação das penalidades cabíveis nas esfera criminal, trabalhista, cível

e administrativa.

c) Nossos colaboradores plantam a cada ano 50 árvores,

preferencialmente em áreas degradadas, espécies nativas e frutíferas

que permitam o desenvolvimento da fauna da região.

d) A cada 6 meses os nossos colaboradores desenvolvem projetos com

objetivos ambientais para incentivar a preservação.

3. Arquitetura e impactos de construção local

a) Incentivamos nossos parceiros a construir com o menor impacto

ambiental possível utilizando os recursos naturais existentes,

integrando-os ao projeto.

b) Nossos parceiros, colaboradores e clientes são incentivados e

reflorestar e recuperar áreas degradadas.

c) Todos os nossos colaboradores reciclam adequadamente materiais e

são treinados para utilizar os recursos de forma consciente.

4.Paisagismos

a) Todos os colaboradores passam pelo jardim antes de chegar na

empresa, nossos parceiros são incentivados a manter áreas verdes

integradas.

b) Nossos jardins utilizam flora nativa e temos parcerias com as prefeituras

para preservarmos jardins e praças, além de implantarmos placas com

sinalização para conscientização de motoristas e pedestres.

c) Nossos colaboradores rotineiramente são guiados em visita a ambiente

nativo com existência de flora e fauna, ensinados a valorizar plantas e

espécimes em construções públicas e privadas.

5. Emissões, efluentes e resíduos sólidos

5.1. Resíduos sólidos

a) Todos os nossos colaboradores são treinados para separar todos os

tipos de resíduos.

b) Todos os nossos colaboradores são orientados a reaproveitar os

resíduos quando é possível

c) Nossos colaboradores são treinados para diminuir resíduos gerados e

para eles estão sendo entregues panfletos informativos.

d) Escolhemos nossos fornecedores por meio de avaliação de políticas

sustentável.

e) Nosso meio de hospedagem recicla todo tipo de resíduos quando

havendo possibilidade este material é reutilizado

f) É mantido registros de controles de entrada e saída desses resíduos

5.2. Efluentes líquidos

a) Priorizáramos a contratação de meios de hospedagem que possuem

contração de terceiros que fazem tratamento de efluentes.

b) Nosso meio de hospedagem tem conhecimento está dentro das normas

legais de efluentes.

c) Quinzenalmente uma empresa contatada faz os monitoramentos de

efluentes nos meios de hospedagem.

5.3. Emissões para o ar gases e ruídos.

a) Controlamos os nossos pontos de emissão de nossos contratados e

fazemos o mínimo possível para emissão de gases e ruídos

b) Tomamos medidas para minimizar emissões de gases e ruídos nos

nossos meios de hospedagem

c) Procuramos exigir que nossos meios de hospedagem isolem as áreas

sobe reformas e manutenção para evitar a propagação de ruídos e

poeiras em excesso.

6. Eficiência Energética

a) Nossa empresa busca sustentabilidade em suas dependências e

processos, bem como em nossos parceiros comerciais.

b) Sempre que possível, os processos pertinentes as atividades turísticas,

buscam a sustentabilidade local e global, envolvendo meios de

hospedagem, transporte, alimentação e demais serviços.

c) A contratação de prestadores está vinculada a forma sustentável de sua

gestão. Aplicamos um questionário abrangendo questões

administrativas, operacionais e ambientais, desta forma garantindo uma

gestão eficiente de recursos. Seguem abaixo algumas práticas

sustentáveis desenvolvidas por nossos parceiros:

– biodigestor

– compostagem de resíduos orgânicos

– coprocessamento de resíduos sólidos

– utilização da energia eólica, energia solar, iluminação natural

– captação, tratamento e distribuição de água de chuva

– reuso de água (efluentes, piscinas, lagos)

– separação e reciclagem do lixo

– consumo preferencialmente de alimentos orgânicos produzidos no

empreendimento ou comunidade local

– minimização de uso de combustíveis fósseis

– controle de emissões atmosféricas

7. Conservação e Gestão do Uso da Água

a) Nossa empresa busca sustentabilidade através de parceiros com

processos de gestão de uso de água.

Atividades propostas:

– controle de vasão e consumo de água com hidrômetro

– minimizar captação de cursos d’água

– redução trimestral de 10% do consumo atual da média do último

trimestre

– conscientização dos funcionários, prestadores de serviços e clientes

através de folders, painéis, placas e ações pontuais.

Sempre que possível, recomendamos o processo de captação de água

de chuva para uso no meio de hospedagem.

8. Seleção de Insumos

a) Nossa empresa busca de parceiros que produzam e consumam insumos

biodegradáveis, passíveis de compostagem e/ou reciclagem.

b) Atividades propostas:

c) – uso de dosadores para produtos de limpeza e higiene

d) – padronização dos insumos utilizados na limpeza dentro de normas de

biodegradabilidade

e) – treinamento e capacitação técnica dos colaboradores do setor de

compras e serviços, através de cursos e palestras com representantes

dos fornecedores

f) – os meios de transportes utilizam biodiesel, sempre que possível.

III Atendimento aos requisitos socioculturais para o turismo sustentável

1. Comunidades Locais

a) Nossa empresa busca realizar atividades de cooperativismo na

disposição dos resíduos gerados fomentando desta forma o

desenvolvimento sustentável das comunidades locais e minimizando os

impactos gerados pelo empreendimento.

Atividades propostas:

– criação, implementação e gestão de uma cooperativa de gestão de

resíduos recicláveis

– criação de um centro comunitário para desenvolvimento de atividades

de educação ambiental e ecologia.

– capacitação e formação de monitores ambientais que atuem nos

atrativos naturais da região

– mantemos alguns canais de comunicação direta com a comunidade:

reuniões mensais, telefones de emergência 24 horas, e-mail

– monitoramos os impactos de nossas ações na comunidade através de

pesquisas e preenchimento de questionários onde pontuamos questões

socioambientais de forma a criar um gráfico para seu acompanhamento

Atendimento aos requisitos socioculturais para o turismo sustentável

2. Trabalho e Renda.

a) 70% dos nossos colaboradores são residentes da nossa comunidade

local, os outros 30% são de comunidades vizinhas.

b) Nosso meio de hospedagem tem como preferência capacitar e treinar os

residentes locais.

c) Divulgamos os produtos e serviços oferecidos pela nossa comunidade

para nossos clientes por meio de panfletos e visitas guiadas.

3. Condições de Trabalho

a) Em nossas relações de trabalho desenvolvemos, e renovamos

anualmente, ações a fim de promover a igualdade étnica, social e de

gênero.

b) Nossos colaboradores são remunerados com 30% acima do seu piso

sindical.

c) Deixamos os colaboradores livres para optarem e demonstrarem suas

necessidades em relação ao meio de trabalho por meio de reuniões

quinzenais chamadas de

4. Aspectos Culturais

a) Oferecemos aos clientes atividades demonstrando as manifestações

culturais regionais, para que eles tenham conhecimento dos aspectos

culturais da região visitada.

b) Divulgamos os aspectos culturais de nossa região por meio de visitas e

integração dos hóspedes nas atividades de manifestações culturais

regionais.

c) As atividades que promovemos estão diretamente ligadas ao nosso

meio cultural, relatadas histórias do nosso folclore para todos os

hóspedes.

5. Saúde e Educação

a) Realizamos ações que estimulam a educação tanto de nossos

colaboradores quanto de residentes locais. A cada semestre

promovemos a “Prova de Bolsa de Estudos de Línguas”, sendo 6

beneficiadas: 3 colaboradores e 3 residentes locais.

b) Apoiamos e divulgamos as ações de saúde da nossa comunidade.

c) Realizamos atividades relacionadas à saúde e as oferecemos aos

nossos colaboradores e suas famílias.

6. Populações tradicionais

a) Os nossos colaboradores recebem livros com folclores da região e

localização dos pontos de realização de atividades turísticas tradicionais.

b) Procuramos fornecer aos hóspedes produtos elaborados pelas

populações locais como meio de prover sua sobrevivência.

c) Através dos próprios livros, e-mail e panfletos, informando a cultura local

para os visitantes com a finalidade de preservar as populações e

tradições existentes.

IV Atendimento aos requisitos econômicos para o turismo sustentável

1. Viabilidade econômica

a) Nossa empresa foi aberta com base em estudos de viabilidade

econômica representada em seu Plano de Negócios que encontra-se a

disposição para consulta de interessados.

b) Todas as atividades turísticas são registradas para que os clientes não

tenham problemas e sejam rastreadas.

c) Fazemos a divulgação via internet, e parcerias com locais muito

visitados.

d) Uma análise com pousadas, e até os próprios concorrentes.

2. Qualidade e satisfação do cliente

a) Recebemos um feedback onde são aceitas sugestões de todos que

usufruem de nossos serviços.

b) Mantemos registro de todos nossos serviços para oferecer como opção

para nossos hospedes.

c) Nossos clientes são todos cadastrados permitindo identificar

necessidades e responsabilidades.

3. Saúde e segurança dos clientes e no trabalho

a) Nossos colaboradores e hóspedes são conscientizados sobre os riscos

existentes em cada atividade turística, com o objetivo de evita-los e

minimizá-los.

b) Todos os acidentes são registrados para que possamos achar uma

maneira para que até os menos graves sejam evitados!

c) Possuímos um seguro de viagem para nossos clientes.

O CAMINHO DO FUTURO E O CAMINHO PARA O FUTURO.

“O caminho do futuro e o caminho para o futuro”

É assim que é apresentada a ciclovia solar que foi inaugurada recentemente na cidade de Krommenie, a noroeste de Amsterdã -a primeira ciclovia solar do mundo.

O que a faz com que esta ciclovia seja tão especial e única vai muito além de sua inovação tecnológica: ela beneficia as populações e sistemas públicos municipais de seu entorno.

O primeiro trajeto desta ciclovia, construída com painéis de concreto com células fotovoltaicas cobertas com vidro temperado, tem 70 metros de extensão. Ao receberam a incidência da luz solar, os painéis iniciam a geração de energia que é direcionada aos mais variados usos no entorno.

A ciclovia, chamada de SolaRoad, foi apresentada em fevereiro de 2015 como a primeira ciclovia solar do mundo; há outras iniciativas anteriores que seguem a mesma ideia, mas se diferenciam pelos materiais utilizados.

Uma delas e a Starpath, em Cambridge. Implantada em meio ao parque Christ’s Pieces, seu principal atributo se deve ao fato de ser feita com uma pintura que armazena os raios ultravioletas durante o dia para emiti-los à noite. Outra versão é a SolarRoadways, uma proposta pensada para cidades que sofrem com as nevascas. Neste caso a ciclovia transforma a energia solar em calor para derreter a neve e liberar o caminho para os ciclistas.

Conforme mencionado em um artigo do CityLab, esta nova ciclovia holandesa possui dois inconvenientes. O primeiro é seu alto custo de implementação, já que, quando estiver pronta em 2016 com seus 100 metros de comprimento, ela terá gasto US$3,7 milhões. O segundo é a orientação das células fotovoltaicas, que, por não poderem se voltar para melhor receber os raios solares, apresentam baixa eficiência.

Todavia, o fato da primeira etapa desta ciclovia, com apenas 70 metros, gerar energia para três casas, o sistema públicos de iluminação, o monitoramento de tráfego e os carros elétricos, supera, de longe, qualquer desvantagem.

Um dos integrantes do consórcio que participou na construção, Dr. Sten, disse à BBC que, eventualmente, as estradas solares poderiam ser utilizadas para recarregar os veículos elétricos que as utilizam. No entanto, em sua opinião, estes carros não são um substituto já que a eletricidade deles não é produzida de maneira sustentável.

Matéria originalmente publicada no portal ArchDaily