Arquivo da tag: Europa

ROTEIRO DE 15 DIAS NA ITÁLIA

Pegar a mochila, olhar para o mundo e decidir encará-lo, conhecê-lo, se encantar. É uma prática que vem se tornando muito comum ao decorrer dos anos. Por isso, hoje existe diversos sites onde viajantes trocam informações. Recentemente, no site Dubbi, vi uma rota de 15 dias pela Itália. Conhecer um dos destinos com a história que tem (Itália) é um desejo de consumo para muitos aventureiros, e com isso, a rota foi feita pela usuária Amaranta Damous.


ROTEIRO

As cidades visitadas são Roma (a cidade onde você chegará), e de lá, ira ao Sul, chegando a Pompeia. De Pompéia, subira mais ao norte para Valentano e assim seguira sua rota pelas cidades de Civita di Bagnoregio, Orvieto, Siena, Arezzo,  Florença, Pisa, Venezia, Verona e voltara para Roma para que você possa voltar para sua bela residência. (ou sair em uma nova jornada)

Total de cidades visitadas: 11

Distância a ser percorrida: 1980,8 km

Clique aqui para ver a imagem maior
Clique aqui para ver a imagem maior

DICA

Utilize os transportes públicos como os trens para economizar dinheiro! Tickets, aqui.

Faça o tour entre os meses de Março e Julho.


O QUE FAZER EM CADA CIDADE?

ROMA, , Itália

4429264802_bb60408fbd_o

Fique na cidade por volta de 3 dias.

Confira aqui um bom guia turístico que lhe da dicas do que fazer em 3 dias. Só seguir.

No terceiro dia, saia bem cedo de Roma em um trem, e de lá, siga para o sul, até chegar em Pompeii. A viagem de trem entre Roma e Nápoles pode durar de 1:45hs a 3:00hs, e o preço pode variar de 10,50 a 42,50 euros, dependendo do tipo de trem que escolher. O Primeiro trem regional (mais em conta) saí de Roma as 05:41hs e chega à Nápoles às 08:23hs


POMPEIA, , Nápoles, Itália

284699010_feda2a232d_b

Faça um bate volta! Chegue bem cedinho na cidade para extrair o máximo de experiência da mesma.

Aqui, um tour de um dia.


VALENTANO, , Viterbo, Itália

????????????????????????????????????

CIVITA DI BAGNOREGIO, , Bagnoregio, Viterbo, Itália

l1001523

ORVIETO, , Terni, Itália

8b1ffcaad6e82e01ca2449ac1c1edd00

Essas 3 cidades você pode fazer em 2 dias facilmente pois estão consideravelmente próximas umas das outras.

Em Valento-Civita di Bagnoregio você pode fazer boas caminhadas as margens do La Perla del Lago e aproveitar a culinária local. Já chegando em Orvieto, poderá ver novamente igrejas, museus e muita história. Um bom circuito de dois dias para aproveitar 3 belas cidades que infelizmente não são os principais destinos turísticos da Itália.  Beleza não irá faltar nessa rota!


SIENA, , Itália

5564236279_ffb4913a16_b

Quem nunca ouviu falar dos vinhos de “Sena”? Eu já! E para chegar na cidade, talvez seja melhor ser você alugue um carro se locomover! A cidade está a 1h30 minutos de Florença, e o trem fica muito afastado do centro histórico da cidade.

Aqui está uma dica do que fazer na cidade em um dia.

Aqui também!


AREZZO, , Itália

antique_market

Fica entre Siena e Florenza, e se, você se programar corretamente pode chegar no evento mais importante do ano, que mexe com as emoções das pessoas no centro histórico de Arezzo: a cidade se divide em quatro times de cavaleiros, e as torcidas são animadas. A festa ocorre no terceiro sábado de junho e no primeiro domingo de setembro.


FLORENÇA, , Itália

Stitched Panorama

Se caminharmos mais 70km, chegaremos a bela cidade da arte de Florença! O ponto alto para quem curte (e muito) a arte renascentista! A cidade está cheia disso, tem até nudez em estátua! 😮 (haha)

Dedique ao menos dois dias para conhecer Florença. No primeiro dia, explore o Duomo e o Batistério, visite a Accademia, tome um café na Piazza della Signoria e caminhe pela Ponte Vecchio. No segundo, chegue bem cedo para conhecer a Galleria degli Uffizi, reservando ao menos 3 horas para conhecer suas obras de arte. O Bargello, o Museu da Ópera, o Palácio Pitti e a Capela dos Médici em San Lorenzo são algumas das muitas opções para visitar durante a tarde. Ou simplesmente, perca-se pelas ruas da cidade ou dê um jeito de ficar mais tempo por aqui.


PISA, , Itália

https://c1.staticflickr.com/3/2803/4119503693_4d3f2f6f01_b.jpg

Aqui você fica um dia, conhece a torre e pode ir embora! Brincadeirinha.

Ao invés de apenas tirar uma foto, tente conhecer novas pessoas e suas histórias. É timido e não sabe como fazer algum amiguinho em viagens?!  Faça isso aqui, você sem dúvidas ganhara um colega (ou um inimigo mortal)

Mais do que fazer em um dia. Aqui


VENEZIA, , Veneza, Itália

281675_Papel-de-Parede-Canal-de-Veneza_1680x1050

Veneza é um labirinto de pequenos e grandes canais espalhados pela laguna no nordeste da Itália. Aqui você encontrará grandes museus como o Accademia, o Ca’Rezzonico, o Peggy Guggenheim ou o Punta della Dogana. O destaque, porém, está mesmo no entorno da Piazza San Marco, com sua magnífica basílica, o farol-campanário e o Palazzo Ducale, o elegante edifício dos poderosos doges da República Veneziana. Não perca também bons passeios a pé em Dorsoduro, Murano, Burano e na pequena San Giorgio Maggiore. Ah, e claro, um passeio de gôndola.

Dicas de lanches, hostels, como circular e mais aqui.


VERONA, , Itália

9820081475_9cc65e5671_b

E para encerrar seu mochilão inesquecível, vamos concluir na cidade de Verona, conhecida pela história, não a sua, mas sim a de Shakespeare, que acertou em cheio ao escolher esse local! Romeu e Julieta e o terceiro anfiteatro mais antigo do país, são duas coisas que o aguardam aqui.

Dicas de onde ir, aqui.


DICAS

http://www.turistaprofissional.com/indice-de-posts-italia/

http://viajeaqui.abril.com.br/paises/italia

A ROTA PERFEITA PARA QUEM QUER CONHECER PORTUGAL E ESPANHA DE CARRO!

Pegar o carro e passar dias na estrada é uma boa maneira de conhecer dois destinos europeus que são muito requisitados por brasileiros: Portugal e Espanha. E Fazer isso sem ficar refém de agências de turismo ou de horários itinerários dos ônibus, é algo que pode ser o sonho de muitos. O Dubbi, um site colaborativo de viagens, montou um roteiro para quem quiser se aventurar nesses dois países que conquistam a américa do sul desde 1500.


ROTEIRO

Uma das melhores opções, pela paisagem e pela qualidade das estradas, é sair de León, na Espanha, e ir até o Porto, em Portugal. No caminho, passa-se por Lugo, Santiago de Compostela e Vigo, já próximo à fronteira. No país lusitano, é possível visitar aionda Viana do Castelo, Braga, Guimarães e, finalmente, o destino final, a cidade de Porto.

Total de cidades visitadas: 8
Distância a ser percorrida: 623 km

Clique aqui e veja com detalhes o mapa.
Clique aqui e veja com detalhes o mapa.

DICA

As grandes locadoras aceitam que o carro seja alugado em um país e devolvido em outro.


O QUE FAZER EM CADA CIDADE?

LEÓN (ESP)

No ponto de partida, não deixe de visitar a Catedral de León, uma das principais obras do estilo gótico francês. É muito difícil não se encantar com a arquitetura imponente da construção. Uma manhã basta na cidade.

Mosteiro de San Miguel de Escalada, na região de Léon
Mosteiro de San Miguel de Escalada, na região de Léon

LUGO (ESP)

Pare em Lugo para almoçar. Em seguida, uma dica é visitar a parte histórica e apreciar a muralha romana da cidade, construção feita pelo imperador Augusto, em 13 a.C., para anexar o noroeste da Península Ibérica ao Império Romano.

Muralha Romana de Lugo, Espanha.
Muralha Romana de Lugo, Espanha.

SANTIAGO DE COMPOSTELA (ESP)

Se seu sonho é fazer o caminho de Santiago de Compostela, este roteiro NÃO é o ideal. Existem vários caminhos que levam a Santiago, sendo o mais tradicional o que cruza os Pirineus. Aqui a intenção é apenas conhecer a cidade, e não ter a experiência dos andarilhos. Procure um hostel (opções a partir de R$ 45) ou um hotel e programe-se para ficar pelo menos um dia na cidade. Para a noite, um dos lugares mais visitados é o Pub Momo. Mas não deixe de descansar para ter força de visitar o centro histórico e os diversos museus do local no dia seguinte, além da Catedral de Santiago de Compostela. No finzinho da tarde, é hora de prosseguir viagem.

Pub Momo, Santiago de Compostela, Espanha.
Pub Momo, Santiago de Compostela, Espanha.

VIGO (ESP)

Se estiver viajando no verão, estender sua estadia em Vigo pode ser uma BOA opção. A cidade possui algumas das melhores praias da Galícia, com águas transparentes e areia branca e fina. Diversos parques e um museu dedicado ao mar são outros atrativos da cidade.

Vista aériea, Vigo
Vista aériea, Vigo

VIANA DO CASTELO (PORT)

Há 5 séculos, grandes expedições rumo ao desconhecido partiam do porto de Viana do Castelo. O lugar era um dos principais pontos de partida dos portugueses na época da Grandes Navegações. Reserve uma tarde para visitar o Parque Nacional da Peneda-Gerês, com belos montes, vales e quedas d’água.

Parque Nacional da  Peneda-Gerês
Parque Nacional da Peneda-Gerês

BRAGA (PORT)

Considerada a ‘Roma Portugesa’, possui mais de 30 igrejas, entre elas a catedral da Sé (isso, igual a de São Paulo), a mais antiga do país. É um prato cheio para aprender sobre a história do país. Se tiver fôlego, suba os 670 degraus até o Santuário do Bom Jesus do Monte, no alto de uma colina. Pode parecer uma penitência, mas vale a pena apreciar a escadaria em estilo barroco.

Jardim de Santa Bárbara, no centro histórico da cidade de Braga
Jardim de Santa Bárbara, no centro histórico da cidade de Braga

GUIMARÃES (PORT)

Assim que chegar à cidade, estacione o carro e explore o centro histórico a pé. Os locais imperdíveis são o Castelo de Guimarães, o Largo da Oliveira e o Paço do Duque de Bragança. Quando voltar ao carro, uma boa opção e ir até a Penha e subir uma estrada de pedra, até obter uma bela vista panorâmica da cidade.

Paço dos Duques de Bragança
Paço dos Duques de Bragança

PORTO (PORT)

Para encerrar o passeio e comemorar os 600 km pela península ibérica, é hora do vinho do Porto. O curioso é que os armazéns do famoso vinho ficam em Vila Nova de Gaia, cidade vizinha situada do outro lado do rio Douro. Quando a fome apertar, não deixe de experimentar um lanche chamado Francesinha (foto), acompanhado, claro, uma porção de batatas fritas.

Foto por Sean Pavone/iStock
Foto por Sean Pavone/iStock

Referências do site Dubbi

Matéria: Catraca Livre

HISTÓRIA #1 RESUMO DA AULA

Alguns nativos morreram quando os europeus chegaram a América, não pelo confronto, mas sim por doenças como a Gripe, que chegou junto deles. Após um tempo, os Jesuítas chegaram por aqui e implantaram a religião católica para essas “pobres almas”.

Franceses eram Europeus mais queridos dos nativos, tanto que no RJ, os nativos os defenderam com unhas e dentes dos portugueses que queriam expulsá los de lá. Eram os ‘xodós’ pois eles não pregaram uma religião nos mesmos, e nem os obrigavam a nada.

Falando em nativos, sabiam que eles comiam outros nativos em duelos? 

A Cana de Açúcar era plantada perincipalmente no nordeste por ser um lugar muito quente.

Apesar do lucro com o pau-brasil, os portugueses passaram a ter a necessidade de explorar algum tipo de riqueza que fosse mais lucrativa. Sem encontrar ouro por aqui, a administração portuguesa optou pelo início da formação de lavouras de cana-de-açúcar na região do litoral brasileiro. 

Após a queda da Cana de açúcar (seu preço), o nordeste foi completamente “esquecido” pelos europeus, e após um curto período de tempo, os bandeirantes acharam ouro em terras da Capitania de São Vicente (SP).

Falando em Bandeirante, eles eram pequenos, bem diferentes daquele que você via nos livros de história! Eles eram mercenários que sempre caçava mata a dentro, Anhanguera era um deles.

Continuando sobre o ouro encontrado.

Os moradores da Cap. São Vicente (SP), tentaram fazer uma rebelião para “se tornar independente” mesmo que não soubessem o que era isso,  tentaram impedir que os moradores de outras regiões pegassem o ouro e prata de suas terras, porém, a coroa portuguesa bateu de frente, fazendo com que os “paulistas” desistissem disso, pós isso, a terra foi separada, e foi criada a atual MG, e lá ficou todo o ouro. Mais sobre o ouro, aqui.

Fazendeiros e Portugueses viviam em dividas com a Holanda devido a empréstimos, por isso, Holandeses ‘plantavam’ laranjas no nordeste. Mais sobre, aqui.

Um quinto dos infernos.

O Quinto era um imposto cobrado pela Coroa portuguesa sobre o ouro encontrado em suas colônias. Correspondia a 20% do metal extraído e era registrado em “certificados de recolhimento” pelas casas de fundição.

Capitania de São Paulo = Capitania de São Vicente, era a preferida para se viver, pois dificilmente algum nativo invadiria o local devido as grandes serras que cobrem a cidade “vila”.

O que é capitania Hereditária?

A Coroa Portuguesa precisava defender a região costeira de ataques alheios, porém detinha parcos recursos financeiros e humanos para tal empreendimento. A solução encontrada foi transferir essa empreitada para as mãos da iniciativa privada.

Algumas das principais Capitanias Hereditárias:

  • São Vicente
  • Santana
  • Santo Amaro e Itamaracá
  • Paraíba do Sul
  • Espírito Santo
  • Porto Seguro
  • Ilhéus
  • Bahia
  • Pernambuco
  • Ceará

Tordesilhas:

O tratado de Tordesilhas durou pouco tempo, pois o rei de Portugal morreu, e não tinha herdeiros, e quem ‘tomou’ a América foi um rei espanhol, (e também português após o falecimento do primo) chamado Filipe II, deixando o tratado apenas no papel, pois as áreas foram divididas, e são como são hoje. Porém, os portugueses acharam isso inadmissível e formaram uma “nova família real”

Os escravos negros:

Negros eram vendidos na África por outros negros, pois havia rivalidade entre os grupos. Os escravos chegavam a valer até pequenos terrenos e sítios.

Por que negros não foram “salvos” pela religião católica assim como os nativos? Simples, os europeus diziam que eles não tinham alma para serem salvos, faziam pactos e por isso, deveriam ser escravizados.

O que é quilombo?

Eram as terras onde os escravos fugiam, e por incrível e irônico que pareça, os escravos eram escravos lá também (normalmente o mais fraco).

Escravo reprodutor, eram os negros fortes, eles transavam com todas as escravas pois os fazendeiros achavam que as crias viriam forte como o pai.


Emboaba em tupi significa forasteiro

O CAMINHO DO FUTURO E O CAMINHO PARA O FUTURO.

“O caminho do futuro e o caminho para o futuro”

É assim que é apresentada a ciclovia solar que foi inaugurada recentemente na cidade de Krommenie, a noroeste de Amsterdã -a primeira ciclovia solar do mundo.

O que a faz com que esta ciclovia seja tão especial e única vai muito além de sua inovação tecnológica: ela beneficia as populações e sistemas públicos municipais de seu entorno.

O primeiro trajeto desta ciclovia, construída com painéis de concreto com células fotovoltaicas cobertas com vidro temperado, tem 70 metros de extensão. Ao receberam a incidência da luz solar, os painéis iniciam a geração de energia que é direcionada aos mais variados usos no entorno.

A ciclovia, chamada de SolaRoad, foi apresentada em fevereiro de 2015 como a primeira ciclovia solar do mundo; há outras iniciativas anteriores que seguem a mesma ideia, mas se diferenciam pelos materiais utilizados.

Uma delas e a Starpath, em Cambridge. Implantada em meio ao parque Christ’s Pieces, seu principal atributo se deve ao fato de ser feita com uma pintura que armazena os raios ultravioletas durante o dia para emiti-los à noite. Outra versão é a SolarRoadways, uma proposta pensada para cidades que sofrem com as nevascas. Neste caso a ciclovia transforma a energia solar em calor para derreter a neve e liberar o caminho para os ciclistas.

Conforme mencionado em um artigo do CityLab, esta nova ciclovia holandesa possui dois inconvenientes. O primeiro é seu alto custo de implementação, já que, quando estiver pronta em 2016 com seus 100 metros de comprimento, ela terá gasto US$3,7 milhões. O segundo é a orientação das células fotovoltaicas, que, por não poderem se voltar para melhor receber os raios solares, apresentam baixa eficiência.

Todavia, o fato da primeira etapa desta ciclovia, com apenas 70 metros, gerar energia para três casas, o sistema públicos de iluminação, o monitoramento de tráfego e os carros elétricos, supera, de longe, qualquer desvantagem.

Um dos integrantes do consórcio que participou na construção, Dr. Sten, disse à BBC que, eventualmente, as estradas solares poderiam ser utilizadas para recarregar os veículos elétricos que as utilizam. No entanto, em sua opinião, estes carros não são um substituto já que a eletricidade deles não é produzida de maneira sustentável.

Matéria originalmente publicada no portal ArchDaily