Arquivo da tag: Visita Tecnica

ITU EM UM DIA! 20 DE JUNHO DE 2015

Grupo: Beatriz, Priscila, Daniele e Lucas

A cidade de Itu tem fundamental importância no desenvolvimento do interior paulista, durante a épocas da cana de açúcar e café, além de conta com um grande acervo histórico cultural, proporciona agradáveis passeios por suas ruas estreitas e por seu centro histórico.


PONTOS

  1. Fazenda das Pedras
  2. Museu Republicano
  3. Igreja Matriz Nossa Sra. da Candelária
  4. Praça dos Exageros
  5. Almoço no Fogão de Ouro
  6. Igreja Nossa Sra. do Patrocínio
  7. Parque do Varvito

SENAC

Bom, até aqui não tive nenhum contato com os profissionais, apenas na recepção. Saímos do SENAC por volta das 8:00. Assim que estávamos chegando para Itu, o ônibus parou. O Motorista aparentemente nervoso e cansado decidiu fazer um breve desabafo. (foi mais ou menos nessas palavras)

…Tem gente aqui que faz turno, e eles mandam motoristas 0km, que não conhecem a cidade onde tem que trabalhar, então, algum de vocês poderiam vir até aqui e me guiar…

Bom, após o breve desabafo, um dos guias ficou meio apavorado, então, a professora que lá estava para avaliar teve de se impor, e ela acabou instruindo uma das guias para levá-lo até o primeiro ponto, Fazenda das Pedras.


FAZENDA DAS PEDRAS

Tecnicamente dizendo, o acesso é um pouco díficil devido a estrada de terra e também ao fato de estar do outro lado da estrada (para quem está vindo de Jundiaí, pode ser um pequeno problema, caso não consiga se orientar ou ler um GPS)

Mas, enquanto íamos, Itu nos surpreendia com belas paisagens, as pedras que vieram com o mar a milhares/ões de anos atrás, Itu já em sua entrada já nos mostrava sua geologia e geografia.

A fazenda em si é um lugar lindo. Sua visão para a cidade, sua simplicidade rural, a comida (afinal, foi lá que tomamos um delicioso café), e também, todo o espaço que continha com belos e delicados chalés, algumas pedras onde os hóspedes poderiam subir para observar um nascer ou por do sol.. o lugar é divino, é calmo, aparentar ser um bom lugar para passar o final de semana.

http://www.fazendadaspedrasitu.com.br/fazenda/


FOTOS

1

Tirada com Lumia Selfie

2


MUSEU REPUBLICANO

Bom, voltamos ao ônibus e lá pelo que pude ver, não houve nenhuma faísca entre o guia e o motorista, enfim.

Saímos da fazenda por volta das 9:35 – 9:50, e fomos direto ao centro da cidade. O primeiro ponto que fomos visitar foi o museu republicano convenção de Itu. Ele estava bem limpo, o acesso até o mesmo era bem fácil.

Pertencente a USP, trás exposições bem legais sobre o Brasil imperialista. O Museu, abrigado em um sobrado histórico do século XIX, foi criado no ano de 1921.

Por lá, houve um ocorrido de muito mau gosto. Um teatro do ciclano que falou da fulana e etc., algo que não estava programado segundo as demais guias, e também, um ocorrido muito feio para sua imagem, e o mesmo teatro poderia se transformar em um pequeno processo.


EXPOSIÇÃO

exposicoes

Não tenho nenhuma foto pois, foi nos solicitado pela segurança do museu para que não sacássemos fotos.

http://mr.vitis.uspnet.usp.br/


MATRIZ NOSSA SENHORA DA CALENDÁRIA

O terceiro ponto estava ali do lado. Caminhamos alguns metros e chegamos a igreja Matriz da cidade. De fora, um lugar bem bonito que nos dava a impressão de que estava ainda mais bonita por dentro, engano meu. A igreja estava passando por restaurações.

Não digo que a igreja estava feia, mas ela poderia ter sido pulada facilmente, tendo em vista que, teríamos outra igreja mais tarde e os pontos necessários já estavam no roteiro.

11


PRAÇA DOS EXAGEROS

Um dos lugares mais chamativos do interior SIM.

Pela primeira vez estávamos vendo algo realmente exagerado. E foi nesse ponto a melhor decisão tomado pelos guias, confiar em seus clientes deixando-os livres no local, marcando um ponto de encontro que poderíamos ver a metros de distância e etc.

Uma pequena observação, estava tendo um belo festival japonês, e alguém sabe o por que da cidade ser escolhida como o berço brasileiro para japoneses? No final eu te conto. 🙂

Fiquei perto do Leandro e o Luciano durante o ponto, e ambos ficamos em algumas lojinhas com lugares bem legais e literalmente exagerados.

A praça estava bem cheia, com pessoas de todos os lugares, e por lá, encontramos um senhor japonês, e para nos comunicarmos com o mesmo, usamos uma peça fundamental do grupo, o menino Luciano. Foi hilário, eu não entendia nada.


FOTOS

6 10

Tirada com Lumia Selfie

Tirada com Lumia Selfie
Sim, saí muito afeminado na foto do crachá, mas e dai?!

Já estavamos para ir ao quinto ponto quando ocorreu algo um tanto quanto cômico, porém trágico se fosse verídico.

Nossa atriz hollywooDIANA encenou uma convulsão, foi um tipo de teste surpresa onde os guias se saíram muito bem, deixando-a na posição de conforto.


FOGÃO DE OURO

Um lugar bem caseiro, com uma comida gostosa, não tenho muito a dizer, mas houve alguns detalhes (como o do guia comendo antes de todo mundo).. mas nada demais, nada que me incomodasse.


IGREJA NOSSA SENHORA DO PATROCÍNIO

Após um almoço onde enchi o bucho, fomos a mais uma igreja (por isso, disse que a matriz poderia ter sido pulada), e essa igreja era muito grande, e um dia já teve um hospício ao lado, é algo muito sinistro.

Foi um dos pontos onde me senti incomodado e senti um certo pavor, o lugar era sinistro, a atendente era sinistra, e tinha um corpo enterrado lá, minha gente.. e um quadro de uma antiga freira nos olhava para todos os cantos em que íamos. Houve um comentário que nos fez rir e de algum lugar daquela igreja imensa surgiu a nossa atendente, toda simpática perguntando

“DO QUE VOCÊS TÃO RINDO?!”

Isso foi o suficiente para eu querer pular fora e perder o foco do ponto.

Estou sem fotos aqui também.


PARQUE ECOLÓGICO DO VARVITO

Voltamos para o ônibus, e de lá fomos direto a um dos melhores pontos do passeio! O Varvito.

Varvito significa nada mais do que rocha endurecida constituída por varves consolidados.

É um lugar épico, com vestígios de animais que viveram por ali na grande era glacial. E quando digo que há vestígios e você não acredita em mim, vá até lá e olhe para o chão. Como na foto abaixo, essa varve foi formada ao decorrer dos milhares/ões de anos, e se conseguirem reparar, existe diversas camadas que levaram anos para serem construídos. Sua composição é de silte e argila,  e a mais espessa de silte, areia (fina, média ou grossa) e argila.

17

Foi um passeio bem tranquilo, um lugar muito bom para se fazer algum encontro.

Seguimos pelo parque, e mais afrente encontramos duas das nossas guias que estavam com uma bela e saborosa surpresa, todas elas fizeram um picnic, e foi com o mesmo que encerramos a nossa V.T.


FOTOS 

18 20

EXPLORANDO JUNDIAÍ, 13 DE JUNHO DE 2015

Grupo: Diana, Leandro, Luciano e Rosana

Aos poucos, tanto os imigrantes como seus descendentes foram se integrando à comunidade jundiaiense. Hoje, mais de 75% da população de Jundiaí é descendente de imigrantes italianos, que constituem uma das maiores colônias em todo o Brasil.


SENAC

CENTRO DE JUNDIAÍ 

  1. Teatro com Luciano e Rosana
  2. Matriz Nossa Senhora do Desterro
  3. Museu Solar do Barão
  4. Volta ao ônibus

  1. O Teatro foi um sacada genial, tendo em vista que, aprendemos de forma mais fácil quando gostamos de algo, e um teatro chama muito mais atenção do que um texto simplesmente lido/decorado/entendido. Luciano e Leandro vivenciaram muito bem seus personagens, a senhora Petronilha Antunes (Leandro) e Rafael de Oliveira (Luciano)
  2. Foi um ponto bem ok que se foi encaixado suavemente para fazer hora até chegarmos ao solar, o ponto estava bem bonito e tivemos explicações de alguns monitores que já estavam na igreja esperando por outro grupo.
  3. O que poderia ser algo que acrescentasse muito foi algo bem fraco, não por culpa do quarteto, mas sim devido a senhora que resolveu desabafar no jardim do solar. Tínhamos um cronograma a seguir, e no fim atuamos em uma área diferente da de guia de turismo, acabamos por ser psicólogos, tendo que ouvir todo o desabafo dela. 
  4. A volta ao ônibus foi muito eficaz, tendo em vista que o motorista parou em ponto estratégico, dos 3 motoristas que tivemos com a empresa SAJOTUR, ele foi o que melhor se achou.

FOTOS

Tirada com Lumia Selfie

Tirada com Lumia Selfie


PANORÂMICA

  1. Ponte torta
  2. Antenor Soares Gandra
  3. Pinacoteca
  4. Polytheama
  5. Complexo FEPASA

Aqui ficou um pouco claro que, a guia se sentia um nervosa perante seu primeiro guiamento de grupo, ótimo! Ela estava lá para aprender e com certeza absorveu bastante dos conselhos dados pela professora Marjorie. A guia que nesse momento estava nervosa foi a que mais evoluiu perante o módulo e o curso ao meu ver.


SERVIÇO DE BORDO

Aqui foi servido uvas, fruta típica da região, algo muito bem elaborado e um detalhe que me chamou a atenção positivamente.


FAZENDA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

Foi o melhor ponto do roteiro. Lá nós tínhamos um monitor que demonstrava muita paixão pelo assunto que ele falava, o café. Ele nos mostrava a história, unindo em certos pontos (o café e sua colheita) o passado e o presente. Fico quase sem palavras para descrever o ponto, pois, foi algo bem legal e surpreendente, dou exaltação aos 4 guias que não deixaram que nenhum de seus clientes se separassem do grupo, sempre conduzindo o seu “rebanho” .


FOTOS

7

Tirada com Lumia Selfie

Tirada com Lumia Selfie

Tirada com Lumia Selfie

05

Tirada com Lumia Selfie

07


ALMOÇO

Comida divina, amei. ♥


MUSEU BRUNHOLI

Na minha opinião, o ponto mais fraco e “mal pensado” do roteiro. Estava muito quente e tínhamos acabado de almoçar, eu particularmente me senti enjoado e zonzo, contava os segundos para poder sair daquele lugar abafado e pegar um pouco de ar fresco.


MAZIERO

Durante a ida até o Maziero, tivemos uma boa peça de teatro onde Rosana e Leandro interpretaram um casal de italianos que vieram para a cidade junto dos milhares de imigrantes.

Bom, em questão ao ponto em si, foi bem mais breve do que eu imaginava pois o nosso monitor foi bem breve, o que particularmente achei bem legal. Tivemos tempo para degustações de vinhos, amarula e sucos. Fizemos pequenas compras e voltamos ao ônibus, onde de lá, seguimos ao SESC.

8 9 10 11


SESC

Por lá ouve uma pequena confusão, onde um guia dizia que era livre, outro dizia que era monitorado. Logo que chegamos estava tendo uma peça teatral (mais uma), o que nos deixou um tanto quanto presos a ela, não é algo ruim pois era interessante. Ficamos uns 10 minutos assistindo a peça e depois subimos para o segundo andar, onde adentramos em uma exposição de dois artistas brasileiros cujos quais não me lembro o nome, mas, novamente, os monitores demonstraram muito afeto pelo que diziam, e isso é sempre bom, fora o envolvimento dos dois com o grupo. 

Após acompanharmos a exposição, subimos ao saguão onde uma das funcionarias nos mostrou sobre a sustentabilidade do SESC. Eles fazem um trabalho bem legal, e sempre que posso, retorno a casa e recomendo a você que está me lendo. Se puder, faça sua credencial e seja sócio.

Tirada com Lumia Selfie


VOLTA AO PONTO DE PARTIDA, SENAC

Durante a volta ao SENAC, tivemos o speech final. Voltamos sem nenhum problema, e assim esperamos o próximo sábado para a V.T de Itu.

Da-lhe MAEDA.

ROTEIRO DA VISITA TÉCNICA PARA SOCORRO – SP #ATUALIZADO 28/7

SEXTA FEIRA 24/07

  • Chegada ao SENAC as 18:50
  • Saída do SENAC as 19:00 com chegada prevista na mesma noite.

SÁBADO 25/07

  • Café da manhã no hotel e encontro com o guia local.

Café da manhã foi um dos pontos fortes do hotel.

  • 8h15 – Embarque e Inicio do Roteiro

Ocorreu pequenos atrasos, mas nada que tenha atrapalhado bruscamente o roteiro.

  • 8h40 – Visita monitorada ao centro histórico, museu e ao mirante do Cristo.

O centro histórico e o museu foram lugares bem bonitos, já o mirante do Cristo foi espetacular, sem palavras, ponto também para o guia que nos transmitiu as mensagens com o mínimo de ruído possível.

  • 11h – Visita ao Parque dos Sonhos com as atividades: Visita técnica guiada no parque.

Melhor parque que eu já fui, voltaria lá fácil! Só preciso de vagas para conduzir meu grupo, o ponto mais alto de toda a V.T

  • 13h – Almoço.

Foi bem gostoso, almoço self-service realizado no próprio parque.

  • 14h – Circuito radical com três tirolesas (Pânico, Espanto e Calafrio) trilha com cachoeiras e caminhada pelo parque até no máximo 18h. (Sério, vou me borrar aqui, mas irei amar!)

Gente, eu gelei, mas fui, e posso garantir que é seguro, pois se não fosse, teria caído da pedra por um descuido. Deixa para outro dia que eu conto a história.

  • 17h30 – Retorno ao hotel para banho e termino dos serviços do guia local.

Voltamos ao hotel porém, não realizamos o evento combinado devido a falta da demanda, tivemos que concluir com um bingo para os hospedes da casa.

DOMINGO: 26/07

  • 7h – Café da manhã no hotel e Check in.

Atrasou uma hora devido a ser Domingo e a comunicação ter sido mal feita. 

  • 8h15 – Embarque.

Embarcamos as 9:10, mas por um bom motivo, tivemos uma palestra de um guia de aventura chamado Charles Gonçalves. 

contato: charles.gonçalves@canoar.com.br

  • 8h30 – Visita de compras no Shopping das Malhas.

Atraso devido a palestra, chegamos por lá as 10:20, mas nada a reclamar.

  • 9h30 – Embarque e retorno para Jundiaí.
  • 12h30 – Desembarque no SENAC em Jundiaí.

A chegada prevista era para 12:30, mas chegamos as 13:00.

CIRCUITO DAS FRUTAS!

Bom dia para você que está em pé nesse domingo de manhã.. tá com voz de sono em amigo?! Tá chovendo muito!!

Ontem, (30) fizemos o circuito das frutas, nos encontramos as 7 horas da manhã no SENAC e voltamos as 17! Segue os vídeos e minha análise sobre os locais!


SENAC Ida

Bom, cheguei ao SENAC as 6:40 e me deparei com o Ricardo, estava apenas nós dois e mais dois moços do curso de segurança de trabalho, lá aguardamos o restante do grupo que chegou aos poucos.

Quando a , que seria aquela que receberia todos, nos deu um cafezinho (particularmente, não gosto, mas precisava acordar), enfim, deu 7:30, todos estavam lá, a Ana Lívia, a professora que nos levou ao circuito e foi como uma turista, e a guia regional, Cris.

Saímos de lá as 8:05, com a chegada do meu querido amigo Luciano, e partimos em direção a Itatiba, ao sítio são José!

SENAC
SENAC
  • Endereço: Rua Vicente Magaglio, 50 – Jardim Paulista
  • Telefone: (11) 3395-2300
  • Nota: + de 8.000

Itatiba, São José

Bom, ficamos por volta de 20 minutos na estrada, com a guia nos dando informações sobre a história da cidade, sobre o que era a Anhanguera e como tudo foi sendo formado na região!

Fomos logo recebidos por um simpático senhor, o seu Roberto que nos levou para a sombra e começou a contar a história do sítio, bem interessante por sinal, tem mais de 60 anos! Sua variedade de frutos vai desde o Morango até o Caqui.

A área verde predomina, e decidi colocar no meu passaporte, o ar de lá é muito gostoso e fresco, contem 4 casas, 7 trabalhadores e é realmente incrível, ainda mais pela qualidade de seus produtos!

Um excelente atendimento a preço de 7 reais, café oferecido, um lugar ideal para começar seu circuito!

São José
São José
São José
Seu Roberto
São José
São José
São José
São José
Itatiba, São José.
Itatiba, São José.
  • Endereço: Rod. Romildo Prado, 12,5 – Bairro da Tapera Grande
  • Telefone: (11) 4538-6694 – 4538-0172
  • Nota: 4.4

Vinhedo, Mosteiro São Bento

Levamos cerca de 20 minutos do sítio até esse mosteiro, e meu monstrinho favorito, valeu a pena!

Simples, com natureza em abundância, bonito, cheio de paz, uma arquitetura alemã, simplesmente surpreendente. São as primeiras impressões que tive ao adentrar no Mosteiro de São Bento, em Vinhedo, que fica a 20 quilômetros de Campinas. Nos primeiros minutos de permanência, as impressões são substituídas por uma constatação: a simpatia do monge Pio (que atendeu ao grupo), a modernidade da construção de 1991, a vida sendo livre, aves voando no céu, famílias indo em busca da fé, os artesanatos e comidas comercializados na lojinha do mosteiro são, realmente, um ótimo motivo para passear no Mosteiro de São Bento.

Localizado na parte mais alta da cidade e de onde se tem uma linda vista, o mosteiro é aberto todos os dias à visitação. Cinco vezes ao dia, os monges se reúnem na Igreja Nossa Senhora do Desterro para rezar e celebrar missa. A oração, feita em canto gregoriano, e a missa, podem ser acompanhadas por visitantes.
Mas é aos domingos que a missa é mais procurada, justamente por tratar-se da mais solene delas, é rezada em latim e em português, tem queima de incenso, canto gregoriano entoado por um coral e duração de uma hora.

Em hora de celebração ou não, a Igreja Nossa Senhora do Desterro é uma atração à parte. Com capacidade para até 500 pessoas, mescla simplicidade, modernidade e tecnologia. Erguida em 1991 pelo arquiteto alemão Hans Broos, que mora no Brasil há algum tempo, a construção tem predominância do concreto, com detalhes em madeira. A acústica é perfeita e dispensa microfones.

Além da igreja, o visitante, seja em família ou em grupo de excursão, pode conhecer o cemitério dos monges localizado naquela área, andar por entre uma reserva de pinheiros e visitar a Lojinha do Mosteiro. A loja vende medalhas de São Bento, livros religiosos, crucifixos, imagens de santos feitas em diversos materiais, pinturas, vinho de missa, pingentes, velas artesanais, CDs de canto gregoriano e demais objetos religiosos, alguns produzidos pelos monges. Nos finais de semana, o visitante encontra também chocolates de diversos tipos, pão integral e bolo de frutas cristalizadas preparados pelos próprios monges.

O Ordem Beneditina nasceu há 1.500 anos, na Itália. São Bento vivia uma vida retirada e este fato atraiu seguidores. Por conta disso ele criou regras que tinham por objetivo buscar a Deus. Três normas norteiam a vida dos beneditinos: estabilidade — que os mantêm morando na mesma comunidade desde o início da consagração à ordem até a morte, tanto que eles são enterrados no mosteiro —, obediência ao superior do mosteiro e conversão dos costumes, que abrange os votos de castidade e pobreza.

Os beneditinos têm mosteiros espalhados por todo o Brasil. Em Vinhedo, o Mosteiro de São Bento existe desde 1972. Atualmente moram nele 15 monges.

Ao nos despedirmos, recebemos um pequeno amuleto com uma imagem sagrada como um ‘brinde’, muito gentil da parte deles! Obrigado, monges. 🙂

Eu que particularmente não sigo nenhuma crença, fiquei abismado com a calma, a leveza e tudo aquilo, a arquitetura, a vida que é o que eu mais prezo.. é fantástico, e um dos lugares mais lindos que já conheci de longe! 

Menina Diana owno nessa
Menina Diana owno nessa

6tag_300515-181111[1]

Menina Diana owno nessa
Menina Diana owno nessa
  • Endereço: Rod. Romildo Prado, 12,5 – Bairro da Tapera Grande
  • Telefone: (11) 3328-8799
  • Nota: 4.2
  • Texto: ®

Valinhos, Casinha do Figo e Chocolate

Após algum tempo na estrada, subimos uma estrada e adentramos a Casinha do Figo.. e o mais espetacular não é a coxinha de mandioca, nem o Marley (um cachorro lindo da casinha), mas sim a visão que você tem do restaurante, você pode ver Valinhos inteira! São muitos prédios e casas!

O Principal prato de lá você deve imaginar, figo e chocolate né? Foi nos servido e particularmente, não sou fã de Figo, acho um gosto meio exótico, mas fomos recepcionados de uma forma espetacular!

O proprietário do local nos recebeu mesmo que nós não tenhamos agendado nada, nos ofereceu figo e mostrou como é o pé da fruta, uma planta realmente chamativa com uma tonalidade verde que se destaca no meio de tantas outras!

Nos receberam muito bem, tomamos um pouquinho do tempo dele mas poderemos em um futuro breve voltar!

Obs.:Claro que lá não tinha apenas figo, tinha também amoras! hmmmm que delicia!

Valinhos!
Valinhos!
Menina Diana owno nessa
Menina Diana owno nessa
  • Endereço: Estrada do Jequitibá, Km 2, Chácara Santa Albina, Bairro Pinheiro
  • Telefone: (19) 3869-4804
  • Nota: 3.9

Valinhos, família Kusakariba

Dessa vez, andamos mais de ônibus, e dessa vez, o tempo parecia não passar, a fome nos matava e estávamos indo até o almoço!

Ao chegar lá, tivemos uma das mais agradáveis surpresas, foi a recepção do Sr. Teruo. Logo que descemos do ônibus um senhor de origem oriental apertava a mão de cada um dos 15  passageiros que desciam embaixo de um sol ardido com um clima bem frio, quase insuportável.

A comida estava fantástica, com todas as letras! Os proprietários eram simpáticos e estavam sempre procurando atuar por ali, tanto como servir mais comida no self service, quanto em todo o restante do serviço!

Após o almoço, os dois grupos foram em uma excursão pelo vale das frutas. Com isso veio a simplicidade, cordialidade e vários outros bons adjetivos do Sr. Teruo, que além do passeio monitorado, tivemos boas histórias e simpatia, com aulas sobre goiaba e seriguela produzidas no local, além de vida na fazenda e outras árvores que apareceram no lindo e preservado sítio.

E após tudo isso, vimos um galpão onde ocorre a separação das frutas para venda. Ao lado tinha um outro galpão com banheiros para os visitantes, enfim, um passeio imperdível, um local extremamente lindo e bem cuidado, e uma família extremamente simpática e cordial (é só conhecê-los para entender porque repetir tantas vezes), que progrediu muito com o turismo e investe nisso.

No final de tudo, houve sorteios de goiabas, Diana, Ricardo, Roxinha, Ana Lívia, Lervas, entre outros ganharam a goiaba que era bem grandinha por sinal! Uma curiosidade é o fato de, eles terem colhido em uma safra, uma goiaba de 1.2 kg.

Digamos que, parte das senhoras que fizeram o circuito das frutas eram um tanto quanto confusas, enquanto pediam silêncio, elas conversavam entre si.. vivendo e aprendendo, mas enfim! 
Encontramos também uma famosidade, a irmã do Tarcísio Meira!! Uma senhora muito simpática e cheia de vida, felicidades e muitas viagens a ela!
Senhor
Senhor Teruo
Valinhos, família Kusakariba
Valinhos, família Kusakariba
  • Endereço: Estrada Luiz De Queiroz Guimarães, Km 2,7,Valinhos, Estado de São Paulo 13270-000, Brasil
  • Telefone: (19) 3881-2351
  • Nota: 4.0

Itatiba, Adega Ferragut

Após a pequena visita que durou por volta de 1:30, voltamos a estrada, fizemos o mesmo percurso, que levou uns 20 minutos até o centro de Itatiba, onde bem lá do lado, havia uma Adega que estava no roteiro!

Descemos do ônibus e fomos aos fundos, onde eles produzem os sucos e vinhos, lá mesmo foi tudo explicado como o vinho é feito, leva por volta de 1 ano e 6 meses para ficar bom, fermentar e tudo mais. O coordenador explicou sobre as uvas e a semente delas que é acida quando quebrada, explicou também que o vinho era produzido por pessoas descalças, caso elas usassem um calçado, a semente poderia estourar e consequentemente, estragar toda a produção.

Após uma breve explicação, fomos degustar os produtos, sucos, vinhos e uma Mozarela deliciosa! Bem após isso, fizemos algumas compras, no meu caso, comprei doces de leite!

Uma garrafa foi quebrada por uma das senhoras do outro grupo, e o proprietário com sua calma disse que não havia problema algum!

  • Endereço: Av. Rosa Zanetti Ferragut, 499
  • Telefone:  (19) 3876.3108
  • Nota: 3.9

Louveira, Sítio da Alvorada

Seguimos a viagem, e não tão distante de lá, chegamos a um lugar próximo onde nossa querida Ana Lívia se casou, ela conhecia o lugar e começou por falar bem de lá!

Chegamos lá, e de cara no deparamos com dois galos que tinham cores tão chamativas, parecia a cor daquelas moscas que quando eu era criança dizia que nos dava super poderes! Era bem forte e tudo mais! E como disse no diário de viagem, lá tinha de TUDO. A dona do sítio (creio) veio nos receber, e logo adentramos ao restaurante, onde o cheirinho nos consumiu de dentro pra fora! O fogão a lenha esquentando uma lasanha linda que me chamava sensualmente, fora o restante da comida. ♥

Saímos do restaurante e fomos aos fundos, lá avistamos 5 coisinhas LINDAAAAAAAS, 5 cachorros filhotes, um claro e 4 escurinhos, as coisas mais lindas do mundo (Diana que o diga!), todos nos acabamos com aquela beleza, com o verde, a vida, as frutas (principalmente uvas), era tudo tão lindo que era difícil acreditar!

O serviço por lá acabou as 15 horas, mas eles continuaram nos recebendo com o maior carinho! Nos serviram bolos, salgadinhos e sucos naturais que estavam extremamente deliciosos, o acesso particularmente fácil e calmo, é um dos lugares que sem dúvidas voltarei!

Chereta e eu no Sítio da Alvorada ♥
Chereta e eu no Sítio da Alvorada ♥
Louveira, Sítio da Alvorada! Turma toda!!
Louveira, Sítio da Alvorada! Turma toda!!
  • Endereço: R. Atílio Biscuola, 1628
  • Telefone: (19) 3878-1373
  • Nota: 4.5

Louveira, Igreja Matriz de Louveira

Fechando o passeio, chegamos a Igreja Matriz de Louveira, um lugar muito bonito no centro da cidade, ela fica em uma praça super limpa e calma! Subimos ao segundo andar da igreja, tiramos várias fotos dos santos e não ficamos tanto tempo por lá, mas foi tempo o suficiente do meu celular cair no chão e estragar a capinha.

Tirada com Lumia Selfie
Matriz de Louveira
Louveira!
Louveira!
  • Endereço; Praça Dom Gabriel – s/n, 13290-000
  • Telefone: (19) 3878-1234
  • Nota: 4.0

As notas são de 0 a 5! 

Referencias

RELATÓRIO DA VISITA TECNICA – SAJOTOUR

Bom, sábado (9), nós do curso de Guia de turismo (SENAC), fomos fazer uma visitação técnica na empresa de ônibus SAJOTUR (São João), sendo a mesma como um complemento de suas aulas de transportes, lecionada pela professora B. Nakashima.

Fomos todos bem recebidos pelos funcionários Luiz e Joyce, que nos deram explicações sobre a empresa e sobre os ônibus, e também, esclareceram varias dúvidas minha e dos meus colegas estudantes.

Pelo que foi dito a nós, a empresa está com todas as contas em dia e tem seguro, a qualidade do serviço prestado aos passageiros (clientes) é seu marco forte, sua seriedade com um bom serviço e capacitação dos profissionais é algo a ser relevado. Os mesmos possuem serviços automotivos em sua garagem (Mecânicos, limpeza, gasolina, tinta), o que os faz economizar bastante e ter controle de seus gastos.

Nos mostraram algumas leis, como os ônibus que ficam “proibidos” de trafegar após seus 20 anos. (Eles nos mostraram seus veículos com mais de 20 anos, e os mesmo estão totalmente fora de uso, deixados para venda)

Para chegar até a SAJOTUR foi bem simples, dois amigos (Leandro e Luciano) me levaram até a garagem, porém, quem não tem auxilio pode encontrar dificuldades, pois a rua que liga até a garagem foi pavimentada recentemente, portanto, não é encontrada em todos os GPS. O Ponto de referência foi o Hotel Intercity.


PONTOS POSITIVOS

  • O estacionamento tem TUDO o que deveria ter, mecânico, pintura, gasolina, limpeza, carros reservas, etc;
  • Os funcionários passam confiança;
  • É uma empresa sem dividas, portanto, sempre estará inovando sua frota, pois os vendedores sabem que eles não “passam o pé” e fogem das folhas de pagamento;
  • O foco é o bem estar do passageiro;
  • Tem seguradora;

PONTOS NEGATIVOS

  • Localização da garagem é muito ruim, tendo em vista que alguns GPS não conseguem achar a mesma devida a recente pavimentação

WP_20150509_09_43_47_Pro WP_20150509_10_57_12_Pro

Editada no Lumia Selfie
Editada no Lumia Selfie
Tirada com Lumia Selfie
Tirada com Lumia Selfie
Tirada com Lumia Selfie
Tirada com Lumia Selfie

WP_20150509_11_06_10_Pro