Arquivo da categoria: Curitiba

CURITIBA PRÉ VIAGEM

Divisão atividades Curitiba

Saída de VCP as 6h05 pela CIA Aérea Azul, pelo avião 4081.

Chegada prevista para as 7h12.

Hospedagem no hotel “Terrazas Park Hotel”

Pontos. Fotos e Informações.

Jardim Botânico

botanico

     Seu principal cartão-postal é o Jardim Botânico, visita obrigatória para aqueles que passeiam pela cidade pela primeira vez. Mais de cinquenta espécies de plantas e flores são encontradas em meio a uma suntuosa construção em vidro e metal que embeleza ainda mais esse jardim geométrico composto também por esculturas e trilhas.


Largo da Ordem

largo da ordem

Museu Paranaense (SH)

     Fundado em 1876, teve várias sedes desde sua fundação. até ser transferido para a Praça Generoso Marques. Informações tel. (0xx41) 304-3300. Localiza-se na Rua Kellers, 289 Horário de visitação: terça-feira a sexta feira das 10h às 17h, sábado e domingo das 11h às 15h.

museu


Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito (SH)

    Consta como sendo a segunda igreja de Curitiba, construída por escravos em 1737. Era a igreja dos pretos de São Benedito. Com a abolição da escravatura, perdeu sua razão de ser, só sendo conservada por estar localizada junto ao caminho do cemitério. Passou a ser chamada a igreja dos mortos, onde os defuntos eram encomendados. Durante a construção da atual catedral de Curitiba, serviu de matriz (1875-1893). Seu estilo era originariamente colonial. Em 1931 foi demolida dado o seu péssimo estado de conservação. Em 1946, a nova Igreja do Rosário foi inaugurada. Em estilo barroco tardio, tem a fachada em azulejos, originais da antiga capela. Enfeitam suas paredes os passos da Paixão em azulejaria recente, em estilo português. Em sua entrada está o túmulo do Monsenhor Celso, pároco da cidade e cura da Catedral por 21 anos, falecido em 1931. Aos domingos às 8h é celebrada a Missa do Turista e Feirantes.

igreja


Memorial de Curitiba (SH)

   Com um projeto arquitetônico moderno e ousado, assinado por Fernando Popp e Valéria Bechara, o Memorial de Curitiba dispõe de três salas de exposições, um auditório e uma praça interna para eventos. Nesses espaços, o público tem oportunidade de estar em contato com a arte e a cultura, por meio de apresentações cênicas e musicais de diferentes gêneros, seminários, palestras, oficinas, congressos, lançamentos de livros, dentre outros eventos realizados periodicamente.
Espaço cultural para mostras e eventos alusivos à memória da cidade de Curitiba.

memorial


Casa Romário Martins

   Último exemplar da arquitetura colonial portuguesa, passou a ter essa denominação após sua restauração, numa homenagem ao historiador Alfredo Romário Martins. A casa deixou de ser moradia no início do século e manteve atividades comerciais até sua desapropriação em 1970, pela Prefeitura Municipal de Curitiba. Inaugurada como espaço cultural em dezembro de 1973, a Casa Romário Martins divulga e promove exposições históricas de responsabilidade da Diretoria de Patrimônio Cultural da Fundação Cultural de Curitiba. A área de exposições é de 34,04m2.

casa romario


Casa Vermelha GUILHERME (SH)

    A Casa Vermelha foi construída no final do século XIX, encomendada pelo alemão Wilhelm Peters. Na época, a região era conhecida como Páteo de São Francisco das Chagas e tinha como principais construções a Igreja da Ordem, o bebedouro e a Casa Romário Martins.

    Nas primeiras décadas do século XX foi sede da “Burmester, Thon e Companhia” e da União Comercial. Em 1916 passou a ser conhecida como “Casa Vermelha”, quando era propriedade de Eurico Fonseca dos Santos e seus sócios – no ano seguinte, a região passou a ser chamada de “Largo Coronel Enéas”, nome que se mantém até hoje.

     Em sua história, a Casa Vermelha foi tradicionalmente sede de empresas e comércios ligados ao ramo das ferragens e/ou residência. Em um dos apartamentos do balcão, por exemplo, viveu o maestro Luis Eulógio Zilli, autor do hino a Nossa Senhora da Luz dos Pinhais.

     No ano de 1993 a casa passou a ser um espaço da Fundação Cultural de Curitiba, integrado ao Memorial de Curitiba – que foi fundado em 1996. Lá eram realizadas apresentações teatrais, principalmente ligadas ao Festival de Curitiba, mas em boa parte do tempo a casa se mantinha fechada. Em 2014, após uma reforma, passou a fazer parte do Schwarzwald Bar do Alemão, um dos comércios mais tradicionais da região.

*Schwarzwald = Bosque Negro em alemão.
*Wilhelm Peters = Um curador alemão.
*Eurico Fonseca dos Santos = Informação não encontrada.

    A Casa Vermelha, localizada no Largo da Ordem, no Centro Histórico de Curitiba, permanece fechada na maior parte do ano, mas é espaço certo para abrigar peças do Festival de Curitiba. A estrutura da casa permite a montagem do cenário ideal para cada tipo de espetáculo. O local também conta com um mezanino com capacidade para 30 pessoas.

   Cabem 70 pessoas no local, e a casa abre apenas para eventos. Pagam meia entrada pessoas com menos de 14 anos, maiores de 60, doadores de sangue e professores.

vermelha


Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas e Museu de Arte Sacra (SH)

   Construída em 1737, é a mais antiga de Curitiba. Seu nome original era Nossa Senhora do Terço, só mudado com o surgimento da Ordem de São Francisco em Curitiba, em 1746. Em anexo foi construído, em 1752, um convento que funcionou até 1783, dirigido por religiosos franciscanos. Em 1834/35 desabou o vigamento da Igreja, e apesar da reconstrução da parte desmoronada, continuou em péssimas condições e, mesmo assim com a chegada dos colonos poloneses, serviu-lhes de paróquia. Em 1880, com a visita do imperador D. Pedro II, foi promovida a restauração definitiva da igreja. A torre foi concluída em 1883 e os sinos doados pelos senhores da erva-mate. A partir de então, tornou-se sede da vida espiritual dos alemães, sendo os ofícios celebrados no idioma alemão até 1937. Estas reformas destituíram suas características arquitetônicas, originariamente coloniais, dando-lhe características indefinidas, com a torre lembrando o estilo mourisco segundo alguns ou neo-góticos, segundo outros, seu interior é colonial, apresentando um altar-mor folheado a ouro, talha barroca de princípios do século XVIII. A imagem de Cristo possui cabelos e os olhos são de vidro, numa expressão típica barroca. Foi tombada em 1965 e novamente restaurada no período de 1978/80, dentro de uma filosofia conservadora, marcando a autenticidade de nossa paisagem histórica. Anexo à igreja está o Museu de Arte Sacra, edifício que reúne alfaias resgatadas das quatro antigas igrejas da cidade, isto é, da Matriz de Nossa Senhora da Luz e Bom Jesus dos Pinhais, Nossa Senhora do Rosário dos Pretos de São Benedito, São Francisco de Paula e da própria Igreja da Ordem. O museu foi viabilizado em 1981 e compreende as duas salas de alfaias, a Capela do Encontro, a Capela Papal e a nave da igreja. Ambos, museu e igreja, estão no Largo da Ordem.

O Museu de Arte Sacra ainda passa despercebido por quem frequenta o Centro Histórico. Instalado no anexo da Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas, o local apresenta um acervo com mais de 800 peças classificadas como objetos de culto, paramentos litúrgicos, obras raras, mobiliário, entre outras opções. Destaque para a imagem do Bom Jesus dos Pinhais, em terracota, datada de fins do século XVII.

Foi inaugurado em 12 de maio de 1981 e teve o acervo inicial recolhido pelos Arcebispos Dom Manuel Silveira D’Elboux e Dom Pedro Fedalto. Atualmente, o Museu de Arte Sacra também oferece um espaço para exposições itinerantes relacionadas ao contexto religioso.

igreja

museu


Praça Garibaldi  (SH)

   Antes de ser inaugurada, em 1946, com o nome de Praça Garibaldi, sua denominação primeira foi Praça Dr. Faria Sobrinho e, mais tarde Praça do Rosário. Está no Setor Histórico de Curitiba e abriga construções e monumentos que contam a historia da cidade. Exemplo disso é o Palacete Wolf, a Igreja do Rosário, a Sociedade Garibaldi, em estilo neo-clássico, a Igreja Presbiteriana Independente, um projeto do engenheiro Henrique Estrela Moreira de 1931, também em estilo neo-clássico, com decoração alemã no seu interior e a antiga “Mansão de Nhá França” construída em 1890 por Ignácio de Paula França e hoje transformada no Solar do Rosário.

   O busto de Monsenhor Celso, o Relógio das Flores, a Fonte da Memória, as Galerias de Arte e as Lojas de Antiguidades e de Artesanato completam o conjunto de estruturas ali existentes. Aos domingos acontece nesta praça a Feira de Arte e Artesanato, com antiguidades, esculturas, talhas em madeiras e cerâmica, vidro, couro, metal e outros, além de apresentações musicais e barracas com gastronomia típica.

praça g


Praça Tiradentes (Catedral Basílica Menor de Curitiba )

  É o marco zero da cidade, denominada Vila de Curitiba, mais tarde passou a ser Largo dea Matriz e Dom Pedro II. A partir de 1889 recebeu o nome de Praça Tiradentes, onde se encontram dois obeliscos, um demarca as distâncias e o outro significa a presença dos portugueses. O novo piso de vidro revela a descoberta recente de traços da cidade do passado.

  A Catedral Basílica Menor de Nossa Senhora da Luz de Curitiba fica na Praça Tiradentes onde a cidade formalmente nasceu. É um dos mais importantes patrimônios culturais da cidade. Inspirada na Sé de Barcelona e construída em estilo neogótico, de 1876 a 1893, quando foi inaugurada. Inicialmente era uma pequena capela de madeira, que em 1715 foi elevada à Primeira Igreja Matriz.

praça t

Catedral_Curitiba_RotasdoPinhao_JR


Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

   O Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é uma das principais e mais tradicionais referências da Igreja Católica de Curitiba e Região Metropolitana, reunindo também fiéis e devotos de municípios do interior do Paraná e de outros estados. O templo católico ganhou notoriedade com as Novenas a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, realizadas todas as quartas-feiras.

As novenas se iniciaram em 1960 na Capela Nossa Senhora da Glória – Avenida João Gualberto – com a chegada dos Missionários Redentoristas a Curitiba. Mas a grande procura da devoção motivou a construção de uma igreja maior (de 1965 a 1969). Com a inauguração do Santuário, em 1969, as celebrações passaram então a ser realizadas na Praça Portugal, bairro Alto da Glória. Em 2014 comemoraram 54 anos de Novenas a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro em Curitiba.

pedreira


Rua das Flores e Boca Maldita

   Primeiro calçadão do Brasil, chega a ser considerado um grande shopping a céu aberto. Destaque para o trecho considerado tribuna livre, a Boca Maldita. A “Boca Maldita”, local de manifestações públicas pacíficas, é a continuação da Rua XV de Novembro entre a Rua Ébano Pereira e a Praça General Osório, denominada Av. Luiz Xavier, a menor avenida do mundo, e também palco de apresentações de Natal no prédio do Palácio da Avenida.

flores

papa


Palácio Avenida

  Localizado no centro da capital paranaense, o Palácio Avenida é um dos mais importantes edifícios históricos de Curitiba. Inaugurado em 1929, foi erguido pelo imigrante e comerciante sírio-libanês Feres Merhy, com projeto arquitetônico original de Valentim Freitas, Bernardino Assumpção Oliveira e Bortolo Bergonse.

  São cerca de 18 mil metros quadrados, que abrigaram cafés, como o folclórico Bar Guairacá, e o Cine Avenida, uma das primeiras salas de cinema da capital. A construção, quase que inteiramente degradada, foi recuperada e reaberta em 1991 pelo banco Bamerindus.

  Atualmente, sedia a principal agência curitibana do banco HSBC. O endereço também abriga o Teatro Avenida, com capacidade para 250 espectadores. Desde 1991, é tradicionalmente realizado nas janelas do Palácio Avenida um espetáculo natalino com coral de crianças e músicas típicas.

papa


Universidade Federal do Paraná e Teatro Guaíra

   É a primeira universidade do Brasil, fundada em 1912 e considerada um monumento arquitetônico em estilo neoclássico. Do outro lado da Praça Santos Andrade está o Teatro Guaíra, um dos maiores da América Latina. Foi inaugurado em 1884 em outo local com outro nome. Reconstruído em 1952, só ficou totalmente pronto na década de 70. Têm três auditórios, o maior deles com 2173 lugares e um painel em alto-relevo de Poty Lazzarotto na entrada principal.

ufpr

guaira


Visita a Torre da Telepar (Valor R$ 6,00) e informações Santa Felicidade GUILHERME

  Situada num ponto alto de Curitiba é também suporte de telefonia celular (OI). Inaugurada em 17/12/1991, o mirante de 109,5 metros permite uma belíssima visão panorâmica (360º) da cidade e dos contornos da serra do mar. O mapa no piso em relevo, localizamos com detalhes pontos da cidade, e desenvolvimento de Curitiba. No piso inferior, na entrada está o museu do telefone.

   Santa Felicidade é a primeira colônia de italianos de Curitiba, formada por imigrantes da região do Vêneto que chegaram ao Brasil em 1878. De suas tradições nasceram as atrações que caracterizam o bairro, como a grande quantidade de restaurantes típicos, as vinícolas e as lojas de artesanato e móveis de vime. A igreja centenária é uma marca da religiosidade dos italianos. A poucas quadras dela está situado o Cemitério de Santa Felicidade, com seu inédito panteão constituído por 18 capelas em estilo neoclássico e tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico. No bairro, merecem destaque por sua arquitetura a Casa dos Gerânios, a Casa dos Painéis, a Casa das Arcadas e a Casa Culpi.

torre

sf


Parque Tingui e Memorial da Imigração Ucraniana

     Encontra-se numa faixa de preservação junto ao Rio Barigui desde 1994, o nome é uma homenagem aos nativos que habitavam a região de Curitiba. Um ano mais tarde foi inaugurado o Memorial Ucraniano, a construção segue as normas da religião ortodoxa, como cúpula oitavada revestida em cobre, com as faces representando os quadrantes do entendimento humano, o altar voltado para o leste e o telhado em dinho, a qual seu interior abriga exposição da Igreja de São Miguel, na Serra do Tigre em Malet.

tingui

papa


Bosque Zaninelli  & Universidade Livre do Meio Ambiente

   Inaugurado em 1992 pelo oceanógrafo francês Jaques Costeau, ao meio de muito verde do bosque, a UniLivre do Meio Ambiente mantém um espaço de estudos e conhecimentos sobre o meio ambiente e a ecologia. A construção de material rústica na forma e cores lembra os quatro elementos da natureza: Ar, água, fogo, terra.

unilivre


Bosque Alemão

     O Bosque do Alemão é mais um dos pontos turísticos próprios de uma das etnias formadoras da população local. Recomenda-se uma visita ao local após as 16h00, quando o sol começa a baixar e graças à sua localização em um dos pontos mais altos da capital pode-se ter uma das mais lindas vistas da cidade. Uma réplica da Catedral de Bach é encontrada no bosque onde também é possível experimentar o legítimo apfelstrudel alemão.

alemão


Ópera de Arame e Pedreira

   Com estrutura tubular e teto transparente, a Ópera de Arame é um dos símbolos emblemáticos de Curitiba. Inaugurada em 1992, acolhe todo tipo de espetáculo, do popular ao clássico, e tem capacidade para 1.572 espectadores. Em meio a lagos, vegetação típica e cascatas, faz parte do Parque das Pedreiras juntamente com a Pedreira Paulo Leminski, que desde 1989 é cenário para a encenação da Paixão de Cristo e outros grandes eventos. A Pedreira pode abrigar, ao ar livre, 20.000 pessoas.

opera

pedreira


Farol do Saber

    Os Faróis do Saber são bibliotecas comunitárias existentes em vários bairros de Curitiba. Funcionam em apoio às escolas municipais e como pontos de referência cultural e de lazer para a comunidade.

   No total, são 45 faróis. O acervo referencial é de cinco mil livros e alguns incluem acesso gratuito à Internet banda larga. O primeiro foi inaugurado em 1994, em Vista Alegre.

   A construção é modular, em estrutura metálica. Em geral, são 88 m² de área construída e a torre tem 10 metros de altura. O nome tem inspiração no antigo Farol e na Biblioteca de Alexandria.

farol


Bosque do Papa (João Paulo II)

   Memorial da Imigração Polonesa, criado em dezembro de 1980. Local este que antigamente havia uma fábrica de velas estearina. As sete casas de troncos que compõem o memorial, são lembranças vivas de fé e da luta deste povo. A casa típica, ao casa do artesanato, a capela no seu interior encontramos a Virgem Negra de Czestochowa, o museu e na trilha um busto do Papa João Paulo II.

papa


Info. Centro cívico – Museu Oscar Niemeyer GUILHERME

  Mais conhecido como o Museu do Olho, no Centro Cívico, onde é possível conferir exposições de arte fixas e itinerantes, ou até mesmo fazer um piquenique ao ar livre, como é costume de muitos curitibanos.

O MON, como é conhecido, é um dos maiores museus da América Latina. Seu acervo abriga mais de 2.200 obras de artistas reconhecidos nacional e internacionalmente. Projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer, sua estrutura de 35 mil m² se destaca entre 144 mil m² de área verde. O complexo é formado pelo prédio principal, projetado em 1967, e o novo anexo, concebido em 2001 e inspirado na araucária, árvore de grande porte e símbolo do Paraná. A forma elíptica e as paredes de vidro desse novo anexo conferiram ao MON o carinhoso e popular apelido de “Museu do Olho”.

oscar n


Parque Tanguá

   Inaugurado em 1996, faz parte do projeto de preservação do Rio Barigui, juntamente com o Parque Tingui e Barigui. Destacam-se no parque duas pedreiras, unidas por um túnel de 45m, que pode ser atravessado a pé por uma passarela sobre a água. Possui pista de cooper, ciclovia, mirante, lanchonete e o Jardim Poty Lazzarotto. Considerado um dos melhores locais para apreciar o pôr do sol em Curitiba.

bosque


LUAU O2 será o By Night.

Aqui.


PRINCIPAIS FONTES DE PESQUISA

FANFIC: HARRY POTTER, E A CAPIVARA FILOSOFAL!

Harry, Ron e Hermione estavam em mais uma excursão a Hogsmeade, tomando cerveja amanteigada no Três Vassouras. Saindo do bar, eles reparam que um quadro novo faz parte da decoração. É uma fotografia de um lugar que não se parece em nada com Hogsmeade. Mostrava um prédio, uma construção que lembrava um olho.
– Mione, você sabe que lugar é esse? – perguntou Ron.
– Sim, é… O Museu Oscar Niemeyer, que fica em Curitiba, lá no Brasil.
– Nossa, é tão… – ao tocar no quadro, Harry se dá conta, tarde demais, que se trata de uma chave de portal, que leva a essa tal Curitiba que Hermione mencionou e que Harry não conhecia.
Harry parou em frente ao prédio em formato de olho, atordoado. Era uma tarde de sábado, e algumas pessoas estavam por ali. Como todos olhavam torto por estranhar suas roupas, ele logo achou a loja do museu e vestiu uma camiseta de Curitiba.
– Você precisa de ajuda?
Uma menina com cabelos castanhos longos e olhos escuros que estava olhando cadernos se aproximou.
– Você parece perdido.
– Estou. Aqui é Curitiba?
– Sim, como você veio parar aqui sem saber onde estava? – disse, rindo. – Você vai comprar essa camiseta? Ela fica bem em você.
– Sim, mas… Eles aceitam galeões?
– Não, de onde você vem? Deixe que esse eu pago pra você, depois você me paga um lanche. Aliás, como é seu nome?
– Harry, Harry Potter. E você é?
– Me chamo Thais. Muito prazer. Então você não conhece a cidade?
Assim, perdido, Harry se deixou levar pela nova amizade de Thais, que começou a mostrar a região pra ele. Ficou sabendo a região do museu se trata do Centro Cívico, onde além de pontos turísticos também se encontram as sedes dos governos municipal e estadual. Conversaram sobre como a cidade funcionava, já que tudo era muito diferente do que Harry conhecia. Ele contou de Hogwarts, pois, apesar de Thais de ser uma trouxa e não conhecer magia, ele não achou que ela pudesse fazer algum mal.
– E se vocês não têm escola de magia, como funciona aqui? É como em Londres? – Harry quis saber.
– Não exatamente. Aqui em Curitiba, a Prefeitura cuida das escolas até o quinto ano. Tem escola que recebe até bebezinhos! Aqui pra cidade isso é muito importante, eu li que no ano que vem 30% do orçamento da cidade vai ser destinado pra educação.
– E você? Estuda numa dessas escolas?
– Não, eu já estou no Ensino Médio, que é pra quem já terminou o ensino fundamental.
– E vocês têm que passar o dia todo na escola? Vocês não dormem lá?
Thais riu.
– Não, Harry, aqui a gente só estuda meio período. Mas também tem várias atividades que a gente pode fazer pra se divertir. O Portal do Futuro, por exemplo, tem aulas de ginástica, de dança, e tem até cursos profissionalizantes de graça. É bem legal!
– Que nome legal. Seria bom ter alguma coisa diferente em Hogwarts, pra variar.
Depois de dar a volta no museu, eles chegaram a uma área verde, com muitas árvores.
– O que é esse lugar, Thais?
– Aqui é o Bosque do Papa. É da imigração polonesa, na verdade, mas ele tem esse apelido pela visita que o Papa João Paulo II fez uns anos atrás. Vem cá que ali tem uma lojinha com uns doces típicos maravilhosos!
Caminharam no meio de casinhas rústicas e de um jardim florido e compraram um doce folhado de creme. Enquanto comia o que se chama “kremówka”, Harry, impaciente, queria saber mais sobre a cidade.
– E temos vários lugares assim por aqui?
– Nossa, você não tem noção. Tem um monte de parque na cidade, pra tudo quanto é gosto. Desde parque com feirinha de comida no inverno a parque com pista de cooper em volta de lago pra você correr. Aliás, o pessoal adora correr em parque de manhã.
Eles continuaram andando por uma pista com várias sinalizações de bicicleta, inclusive com a passagem de vários ciclistas. Thais explicou que ali é uma ciclovia, uma das várias vias da cidade feitas exclusivamente para a passagem de ciclistas.
– Inclusive, recentemente Curitiba foi listada por um site americano como uma das dez cidades do mundo mais agradáveis pra pedalar!
– Que legal. Eu nunca mais andei de bicicleta, mas deve ser muito bom poder fazer isso sempre.
– Ah, é sim, eu inclusive sempre ando, é muito bom. De noite fica mais fresco, aí é uma delícia!
– Mas não fica escuro por aqui? Não é meio perigoso?
– Aqui é uma cidade como todas as outras, Harry. Sempre vai ter chance de dar alguma coisa errada. Mas por aqui é tão tudo bem iluminado que não dá pra sentir medo.
– Pelo menos aqui vocês não têm que lidar com dementadores fugidos, comensais da morte e horcruxes. Menos mal.
– Em compensação, a gente também não pode voar de vassoura ou de hipogrifo, piá.
– É, isso é uma pena. O que é piá?
Thais riu de novo.
– Piá é o jeito que a gente chama os meninos. Piá é menino, guria é menina.
– Valeu, guria. E esse prédio, o que é?
Eles tinham chegado num prédio colorido, não muito alto, com algumas bandeiras na frente, araucárias e duas rampas longas.
– Aqui é a Prefeitura. Ou Prefs, como a gente gosta de chamar. É aqui a sede de todas essas ações que eu te mostrei.
– Será que dá pra conhecer?
– Claro, até porque tem boatos de que tem uma lareira escondida aqui. Se você tiver pó de flu, você já tem um jeito de voltar pra casa.
Harry ficou surpreso por Thais conhecer o seu mundo.
– Obrigado! Acho que já vou, pra dar tempo de voltar pra Hogwarts com o grupo. Mas como você sabe de tudo isso?
– Eu tenho meus meios. Só nunca achei que fosse encontrar alguém com uniforme de Hogwarts no museu do olho. Achei que seria uma boa oportunidade pra conhecer um bruxo de verdade. Obrigada, viu?
– Obrigado você por ter me mostrado a cidade. E pela camiseta. Tenho alguns galeões aqui pra te dar de recordação, já que você não pode trocá-los por reais.
Thais agradeceu. A moça da recepção, após algumas perguntas de reconhecimento, indicou o lugar secreto em que ficava a lareira.
– Tchau, Harry, obrigada!
Harry, já dentro da lareira, agradeceu Thais e pegou seu pó de flu.
– Até mais, guria. Três Vassouras! – e jogou o pó ao chão.
Harry se viu de volta ao ambiente familiar do bar, e logo reencontrou seus amigos, que estavam extremamente preocupados.
– O que aconteceu, Harry?
– Dessa vez, vocês não vão nem acreditar.


A Fanfic da Prefs não faz parte da saga original escrita por J.K Rowling – você já sabia, mas a gente tem que informar mesmo assim Emoticon wink. A saga é composta pelos livros Harry Potter e a Pedra Filosofal, Harry Potter e a Câmara Secreta, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, Harry Potter e o Cálice de Fogo, Harry Potter e a Ordem da Fênix, Harry Potter e o Enigma do Príncipe e Harry Potter e as Relíquias da Morte. Todos os livros estão publicados no Brasil pela Editora Rocco. E ler bastante nunca fez mal a ninguém!**

Texto retirado da página do facebook da Prefs.