FANFIC: HARRY POTTER, E A CAPIVARA FILOSOFAL!

Harry, Ron e Hermione estavam em mais uma excursão a Hogsmeade, tomando cerveja amanteigada no Três Vassouras. Saindo do bar, eles reparam que um quadro novo faz parte da decoração. É uma fotografia de um lugar que não se parece em nada com Hogsmeade. Mostrava um prédio, uma construção que lembrava um olho.
– Mione, você sabe que lugar é esse? – perguntou Ron.
– Sim, é… O Museu Oscar Niemeyer, que fica em Curitiba, lá no Brasil.
– Nossa, é tão… – ao tocar no quadro, Harry se dá conta, tarde demais, que se trata de uma chave de portal, que leva a essa tal Curitiba que Hermione mencionou e que Harry não conhecia.
Harry parou em frente ao prédio em formato de olho, atordoado. Era uma tarde de sábado, e algumas pessoas estavam por ali. Como todos olhavam torto por estranhar suas roupas, ele logo achou a loja do museu e vestiu uma camiseta de Curitiba.
– Você precisa de ajuda?
Uma menina com cabelos castanhos longos e olhos escuros que estava olhando cadernos se aproximou.
– Você parece perdido.
– Estou. Aqui é Curitiba?
– Sim, como você veio parar aqui sem saber onde estava? – disse, rindo. – Você vai comprar essa camiseta? Ela fica bem em você.
– Sim, mas… Eles aceitam galeões?
– Não, de onde você vem? Deixe que esse eu pago pra você, depois você me paga um lanche. Aliás, como é seu nome?
– Harry, Harry Potter. E você é?
– Me chamo Thais. Muito prazer. Então você não conhece a cidade?
Assim, perdido, Harry se deixou levar pela nova amizade de Thais, que começou a mostrar a região pra ele. Ficou sabendo a região do museu se trata do Centro Cívico, onde além de pontos turísticos também se encontram as sedes dos governos municipal e estadual. Conversaram sobre como a cidade funcionava, já que tudo era muito diferente do que Harry conhecia. Ele contou de Hogwarts, pois, apesar de Thais de ser uma trouxa e não conhecer magia, ele não achou que ela pudesse fazer algum mal.
– E se vocês não têm escola de magia, como funciona aqui? É como em Londres? – Harry quis saber.
– Não exatamente. Aqui em Curitiba, a Prefeitura cuida das escolas até o quinto ano. Tem escola que recebe até bebezinhos! Aqui pra cidade isso é muito importante, eu li que no ano que vem 30% do orçamento da cidade vai ser destinado pra educação.
– E você? Estuda numa dessas escolas?
– Não, eu já estou no Ensino Médio, que é pra quem já terminou o ensino fundamental.
– E vocês têm que passar o dia todo na escola? Vocês não dormem lá?
Thais riu.
– Não, Harry, aqui a gente só estuda meio período. Mas também tem várias atividades que a gente pode fazer pra se divertir. O Portal do Futuro, por exemplo, tem aulas de ginástica, de dança, e tem até cursos profissionalizantes de graça. É bem legal!
– Que nome legal. Seria bom ter alguma coisa diferente em Hogwarts, pra variar.
Depois de dar a volta no museu, eles chegaram a uma área verde, com muitas árvores.
– O que é esse lugar, Thais?
– Aqui é o Bosque do Papa. É da imigração polonesa, na verdade, mas ele tem esse apelido pela visita que o Papa João Paulo II fez uns anos atrás. Vem cá que ali tem uma lojinha com uns doces típicos maravilhosos!
Caminharam no meio de casinhas rústicas e de um jardim florido e compraram um doce folhado de creme. Enquanto comia o que se chama “kremówka”, Harry, impaciente, queria saber mais sobre a cidade.
– E temos vários lugares assim por aqui?
– Nossa, você não tem noção. Tem um monte de parque na cidade, pra tudo quanto é gosto. Desde parque com feirinha de comida no inverno a parque com pista de cooper em volta de lago pra você correr. Aliás, o pessoal adora correr em parque de manhã.
Eles continuaram andando por uma pista com várias sinalizações de bicicleta, inclusive com a passagem de vários ciclistas. Thais explicou que ali é uma ciclovia, uma das várias vias da cidade feitas exclusivamente para a passagem de ciclistas.
– Inclusive, recentemente Curitiba foi listada por um site americano como uma das dez cidades do mundo mais agradáveis pra pedalar!
– Que legal. Eu nunca mais andei de bicicleta, mas deve ser muito bom poder fazer isso sempre.
– Ah, é sim, eu inclusive sempre ando, é muito bom. De noite fica mais fresco, aí é uma delícia!
– Mas não fica escuro por aqui? Não é meio perigoso?
– Aqui é uma cidade como todas as outras, Harry. Sempre vai ter chance de dar alguma coisa errada. Mas por aqui é tão tudo bem iluminado que não dá pra sentir medo.
– Pelo menos aqui vocês não têm que lidar com dementadores fugidos, comensais da morte e horcruxes. Menos mal.
– Em compensação, a gente também não pode voar de vassoura ou de hipogrifo, piá.
– É, isso é uma pena. O que é piá?
Thais riu de novo.
– Piá é o jeito que a gente chama os meninos. Piá é menino, guria é menina.
– Valeu, guria. E esse prédio, o que é?
Eles tinham chegado num prédio colorido, não muito alto, com algumas bandeiras na frente, araucárias e duas rampas longas.
– Aqui é a Prefeitura. Ou Prefs, como a gente gosta de chamar. É aqui a sede de todas essas ações que eu te mostrei.
– Será que dá pra conhecer?
– Claro, até porque tem boatos de que tem uma lareira escondida aqui. Se você tiver pó de flu, você já tem um jeito de voltar pra casa.
Harry ficou surpreso por Thais conhecer o seu mundo.
– Obrigado! Acho que já vou, pra dar tempo de voltar pra Hogwarts com o grupo. Mas como você sabe de tudo isso?
– Eu tenho meus meios. Só nunca achei que fosse encontrar alguém com uniforme de Hogwarts no museu do olho. Achei que seria uma boa oportunidade pra conhecer um bruxo de verdade. Obrigada, viu?
– Obrigado você por ter me mostrado a cidade. E pela camiseta. Tenho alguns galeões aqui pra te dar de recordação, já que você não pode trocá-los por reais.
Thais agradeceu. A moça da recepção, após algumas perguntas de reconhecimento, indicou o lugar secreto em que ficava a lareira.
– Tchau, Harry, obrigada!
Harry, já dentro da lareira, agradeceu Thais e pegou seu pó de flu.
– Até mais, guria. Três Vassouras! – e jogou o pó ao chão.
Harry se viu de volta ao ambiente familiar do bar, e logo reencontrou seus amigos, que estavam extremamente preocupados.
– O que aconteceu, Harry?
– Dessa vez, vocês não vão nem acreditar.


A Fanfic da Prefs não faz parte da saga original escrita por J.K Rowling – você já sabia, mas a gente tem que informar mesmo assim Emoticon wink. A saga é composta pelos livros Harry Potter e a Pedra Filosofal, Harry Potter e a Câmara Secreta, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, Harry Potter e o Cálice de Fogo, Harry Potter e a Ordem da Fênix, Harry Potter e o Enigma do Príncipe e Harry Potter e as Relíquias da Morte. Todos os livros estão publicados no Brasil pela Editora Rocco. E ler bastante nunca fez mal a ninguém!**

Texto retirado da página do facebook da Prefs.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s