MÚSICA DO DIA

Desculpe
Estou um pouco atrasado
Mas espero que ainda dê tempo
De dizer que andei
Errado e eu entendo

As suas queixas tão justificáveis
E a falta que eu fiz nessa semana
Coisas que pareceriam óbvias
Até pra uma criança

Por onde andei?
Enquanto você me procurava
Será que eu sei?
Que você é mesmo
Tudo aquilo que me faltava…

Amor eu sinto a sua falta
E a falta
é a morte da esperança
Como um dia
Que roubaram o seu carro
Deixou uma lembrança

Que a vida é mesmo
Coisa muito frágil
Uma bobagem
Uma irrelevância
Diante da eternidade
Do amor de quem se ama

Por onde andei?
Enquanto você me procurava
E o que eu te dei
Foi muito pouco ou quase nada
E o que eu deixei?
Algumas roupas penduradas
Será que eu sei?
Que você é mesmo
Tudo aquilo que me faltava..

Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!
Uh! Uh! Uh!
Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!
Uh! Uh! Uh!

Amor eu sinto a sua falta
E a falta
é a morte da esperança
Como um dia
Que roubaram o seu carro
Deixou uma lembrança.

Que a vida é mesmo
Coisa muito frágil
Uma bobagem
Uma irrelevância
Diante da eternidade
Do amor de quem se ama

Por onde andei?
Enquanto você me procurava
E o que eu te dei
Foi muito pouco ou quase nada
E o que eu deixei?
Algumas roupas penduradas
Será que eu sei?
Que você é mesmo
Tudo aquilo que me faltava…

Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!
Uh! Uh! Uh!
Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!
Uh! Uh! Uh!

Por onde andei?
Enquanto você me procurava
E o que eu te dei
Foi muito pouco ou quase nada
E o que eu deixei
Algumas roupas penduradas
Será que eu sei?
Que você é mesmo
Tudo aquilo que me faltava

Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!
Uh! Uh! Uh!
Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!
Uh! Uh! Uh!

CANÇÃO: POR ONDE ANDEI

CANTOR: NANDO REIS E OS INFERNAIS

COMPOSITOR: NANDO REIS


VÍDEO

https://www.youtube.com/watch?v=pnxRvHKjC3Y


ANÁLISE

Como um fã disse em um comentário:

  Um questionamento interno e tanto, narrado nessa canção. Quantas vezes nos pegamos sendo negligentes com quem dividimos nossas vidas? Quantas vezes nos arrependemos, principalmente daquilo que deixamos de fazer ou dizer para quem tanto amamos? “Coisas que pareceriam óbvias Até pra uma criança” diz a música… Mas conviver nunca é uma tarefa fácil! E mais difícil ainda é conviver com nossos medos, erros e limitações no que tange os sentimentos do outro…     O Amor pleno talvez inclua compreender as necessidades e limitações de quem esta do nosso lado, talvez inclua esquecermos um pouco de nós mesmos em prol de um processo de construção mutuo, onde colocamos um pouco de lado nossa individualidade no que tange nossas próprias zonas de conforto para buscarmos a harmonia e felicidade do casal.

  No fim das contas por mais que nossas vidas dêem mil voltas e mil pessoas passem por ela, inevitavelmente um dia, daremos conta que vivemos uma constante busca por alguém que nos compreenda e nos de o carinho, valor e atenção que todos nós necessitamos! A grande constatação é que até lá perderemos invariavelmente pessoas que poderiam efetivamente nos fazer felizes, simplesmente porque somos imaturos e impulsivos demais para enxergar isso!

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s